14.7 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 10, 2022

Maior parte dos atendimentos do PS local não é de casos de urgência e emergência

Dor de cabeça, diarreia, tosse, resfriado, hipertensão, dor de barriga, dor em pernas e braços, dor de garganta, amigdalite, e causas desconhecidas e não especificadas. Estas foram as dez principais causas de atendimento no Pronto-Socorro Municipal de Araçatuba (SP), no segundo semestre do ano passado. Os dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde ao vereador Flávio Salatino (MDB) indicam que 57,44% dos quase 69 mil atendimentos realizados no período não são urgências ou emergências.
As informações confirmam a percepção do vereador, que é cardiologista e já atendeu no PSM, de que a maior parte dos atendimentos pode e deve ser feito nas 19 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do município. “Isso desafogaria o Pronto Socorro, melhorando significativamente os serviços prestados à população”, analisa Salatino, que abordou o assunto durante a mais recente sessão da Câmara Municipal (8ª Sessão Ordinária, de 25/03).
O maior registro de atendimento, com 31,29% do total, são de causas desconhecidas e não especificadas, situação que rende críticas profissionais de Salatino. “Não é razoável concluir que a maior parte das pessoas que vão ao Pronto-Socorro não recebe um diagnóstico do problema que as fez ir até lá. Isso precisa ser revisto por parte de quem administra o PS e por parte dos médicos, com a utilização de modernas ferramentas técnicas e tecnológicas, assim como de conhecimento, que permitam ao profissional médico precisar o diagnóstico”, reflete.
Ao analisar os números dos investimentos feitos no pronto socorro, o vereador enetende que o atendimento deveria ser melhor. O município está investindo alto no atendimento do PS.
Após exposição do levantamento e de suas considerações, Salatino, que faz parte da Comissão Permanente de Saúde do Legislativo, espera que a Administração Municipal tome providências para solucionar a questão. “Isso passa por uma campanha de conscientização e sensibilização de todos os moradores, e essa iniciativa deve partir da Prefeitura. Além disso, a grande parte dessas pessoas que procura o Pronto-Socorro faz isso à noite, fora do expediente ou nos finais de semana. Ou seja, se as UBS ficassem abertas por mais tempo, em horário estendido, como vem ocorrendo atualmente com algumas delas, em razão da dengue, tenho certeza que a situação seria diferente”, concluiu.

DA REDAÇÃO
Araçatuba

Ultimas Noticias