23.6 C
Araçatuba
sábado, maio 21, 2022

Serviços e indústria garantem a geração de empregos em Araçatuba

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Na tarde dessa quinta-feira, o Ministério do Trabalho e Previdência divulgou os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) referente ao mês de março. Pelo terceiro mês consecutivo, Araçatuba teve saldo positivo. Foram 337 novas vagas, resultado de 2.167 admissões e 1.830 demissões. Mais uma vez os setores de serviçois e indústria garantiram a oferta de trabalho no município.

Os números do Caged mostram que nos três primeiros meses do ano Araçatuba registrou 6.495 admissões e 5.467 demissões. Isso significa saldo positivo de 1.028 novas vagas no trimestre. Em janeiro foram 366 vagas (2.047 admissões e 1.681 demissões) e em fevereiro foram 325 vagas (2.281 admissões e 1.956 demissões). Em todo o ano passado, Araçatuba teve um saldo de apenas 999 novas vagas. Isso mostra que a economia aos poucos está sendo retomada.

Das 1.028 vagas de trabalho criadas no primeiro trimestre, o setor de serviços tem 889, o que equivale a 86,47%. 

 

BRASIL

O Brasil fechou o mês de março de 2022 com a criação de 136.189 empregos formais. O número é menor do que os 153.431 empregos novos gerados em março do ano passado. 

O saldo de março último foi resultado de 1.953.071 contratações menos 1.816.882 de demissões. O estoque de empregos formais, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos no país, encerrou março 41,2 milhões de empregados, variação de positiva de 0,33% em relação ao mês anterior. No acumulado do ano de 2022, foi registrado saldo de 615.173 empregos, decorrente de 5.820.897 admissões e de 5.205.724 desligamentos.

Os dados mostram que saldo positivo do nível de emprego em março foi registrado em quatro dos cinco grupos de atividades econômicas. A maior parte, no total de 111.513 novos empregos, foi gerada no setor de serviços, distribuído principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas. 

O setor de construção civil foi o segundo que gerou mais empregos em março, com saldo positivo de 25.059 postos de trabalho, seguido pela indústria (15.260 novos empregos) e comércio, com saldo de 352. O setor de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura teve saldo negativo de geração de empregos, com 15.995 desligamentos a mais do que contratações.   

 

Regiões

Em termos regionais, o mês de março teve saldo positivo de empregos em quatro das cinco regiões geográficas do país. No Sudeste, foram 75.804 novos postos de trabalho, seguido pelo Sul, com 33.601 vagas; Centro-Oeste, que gerou 33.601 empregos e Norte, com saldo positivo de 9.357 vagas. No Nordeste, o saldo da geração de empregos ficou negativo, com desligamento de 4.963 postos em relação às contratações. A explicação do ministério para o saldo negativo no Nordeste é o período de desmobilização do setor de cana-de-açúcar, especialmente nos estados de Sergipe, Pernambuco e Alagoas, com demissão de trabalhadores temporários.

Ultimas Noticias