BRASÍLIA - Na Avenida Brasília, ipê dá as boas vindas a quem chega a Araçatuba

Florada do ipê muda a paisagem urbana de Araçatuba e chama atenção pela beleza

Compartilhe esta notícia!

ANTONIO CRISPIM

Com característica de planta do cerrado, o ipê, em diferentes matizes, transcende a questão geográfica e de bioma e se faz presente em todas as regiões brasileiras. Do norte ao sul é possível admirar a beleza desta árvore, que perde as folhas e ganhas flores para economizar água e garantir dispersão de sementes. Em Araçatuba, há pés de ipê de várias cores em diferentes pontos da cidade, especialmente nos canteiros de importantes avenidas. O primeiro a florescer é o ipê rosa, mas que muitas pessoas garantem que é roxo. Independente dessa discussão, o ipê muda a paisagem urbana da cidade e chama a atenção. Não há informação de inventário sobre o total de árvores dessa espécie plantadas na região urbana de Araçatuba.

Na região noroeste de São Paulo, devido às condições climáticas, o primeiro a florescer é ipê rosa, nos meses de junho e junho. Depois vem o amarelo, também com diferentes tonalidades e para encerrar o ciclo das floradas, o ipê branco. A flor do ipê branco é a que permanece menos tempo na árvore – não chega a uma semana.

Quem transita pelas rodovias da região já observa o contraste da copa das árvores. O verde ainda é predominante, mas o rosa dos ipês sobressai. O mais bonito é o tapete que se forma sob estas árvores. Se a florada chama a atenção na zona rural, no ambiente urbano é ainda mais marcante.

Há ipês floridos nas avenidas Waldir Felizola de Moraes, Joaquim Pompeu de Toledo em vários pontos, Brasília e outras.  Na Avenida Joaquim Pompeu de Toledo, uma das vias mais movimentadas de Araçatuba e ponto de caminhada, é comum ver pessoas parando para uma foto com celular. Impossível não ser tocado pela beleza das flores na copa das árvores e no solo, formando um tapede florido.

Além de embelezar a natureza, o ipê tem importância econômica. A madeira muito dura é usada na construção civil e na indústria naval. No cerrado, a árvore chega a 10 metros. No entanto, em outras regiões brasileiras, pode chegar a 25 metros.

 

ESPECIALISTAS

O pesquisador Sílvio Marchini, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP), em reportagem ao G1, disse que há 28 espécies de ipês e faz distinção entre as flores rosas e roxas. “Na verdade, não existe flor roxa de ipê, mas sim diferentes tons de rosa”, explica.

O engenheiro florestal Lucas Proto (secretário municipal de Meio Ambiente) reafirmou o que disse o pesquisador. Segundo ele, o ipê rosa tem várias tonalidades, assim como o amarelo e até mesmo o branco. Segundo Lucas Proto, o ipê rosa floresce em junho julho e agosto. Já o amarelo, floresce em julho agosto e setembro e finalmente o branco, que começa florir em agosto a vai até o final de setembro.

POMPEU – Na Joaquim Pompeu de Toledo, tapete de flores para quem faz caminhadas
DECORAÇÃO – Ipê decora pátio de posto na rotatória da Pompeu, Baguaçu e Waldir Felizola
ANtÔNIO CRISPIM

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Prefeito reúne Procon e Sanesul para mediar situações conflitantes

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS Em reunião ocorrida na terça-feira (22), no gabinete …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *