21.7 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 17, 2022

Empresários do bairro Santana reclamam de onda de furtos na região

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Comerciantes e moradores das imediações dos bairros Santana, Paraíso e São Joaquim estão se queixando do excesso de furtos ocorridos em seus estabelecimentos e residências.

De acordo com eles, semanalmente são registradas ocorrências, que acontecem tanto no período diurno quanto noturno, trazendo sensação de insegurança nos bairros.

Alguns deles procuraram a reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL para denunciar alguns casos ocorridos recentemente. De acordo com o empresário Sérgio Lourenço, que possui uma escola de natação no Santana, ele já teve prejuízo de R$ 20 mil em seu estabelecimento com furtos.

“Já entraram umas quatro vezes aqui na minha escola para fazer furto. E nós estamos pedindo socorro às autoridades. Eles entram sem dó e a gente se sente desprotegido. Nós chamamos a Polícia Militar e eles só chegam depois de meia hora do acontecido”, afirmou.

Lourenço, que também mora no bairro, chegou a fazer uma faixa e a colocou na frente de sua escola. Com os dizeres “Furtos frequentes nesta área… Socorro!”, Lourenço tenta alertar as autoridades para os problemas que sua vizinhança tem vivido.

“O já tive R$ 10 mil de prejuízo, não tive mais porque uma vez a PM conseguiu recuperar uma boa parte do que foi furtado aqui. Esses R$ 10 mil são portas que arrebentam, fechaduras que arrebentam, já me furtaram notebooks, caixas de som, aparelhos de som, e outros objetos de menor valor”, contou. “A gente luta e trabalha com tanta dificuldade para que em meia hora uma pessoa entre e furte”, seguiu.

Além dele, o marceneiro Maurício Rossi, que também tem comércio e mora no bairro, reclamou de objetos furtados recentemente em sua loja.

“Não foi uma vez só não, já roubaram o estepe do meu carro, já levaram minhas ferramentas. Eu moro em um sobrado, é alto, subiram lá há pouco tempo. A gente está se sentindo preso, e o pessoal está solto na rua”, lamentou. “Já tive pelo menos uns R$ 15 mil de prejuízo”, contou.

Já o comerciante Toshihiko Toma, dono de uma loja de materiais de construção, relata pelo menos R$ 12 mil de prejuízo com objetos furtados. 

“Foram quatro furtos na nossa loja. A primeira vez furtaram dois notebooks, na segunda vez roubaram 20 torneiras das mais caras, levaram troco que tinha no caixa”, contou. “Instalamos mais alarmes e pretendemos colocar câmeras na loja”, seguiu.

Maurício Rossi, que possui um pet shop na região, ainda afirmou que no último sábado uma pessoa invadiu a sua loja fugindo de uma briga e derrubou alguns produtos no chão. Apesar de não ter havido furto desta vez, o mesmo local já foi alvo de outros furtos em vezes anteriores.

“A Polícia Militar me aconselhou a trabalhar com porta fechada, a ter um pouco mais de paciência. Mas vem cá, entra dentro do seu estabelecimento, você está trabalhando e a própria polícia fala para você se trancar? Tem alguma coisa errada”, disse. 

Todos os casos ocorreram em estabelecimentos e residências localizados entre as ruas Cesário Motta, Antônio Gomes do Amaral e avenida João Arruda Brasil. 

De acordo com os moradores, nem mesmo as máquinas e os funcionários que estão trabalhando no recapeamento da avenida estão inibindo os bandidos de praticarem furtos em plena luz do dia.

 

PREJUÍZO – Dono de loja de material de construção mostra conserto no portão após arrombamento
Crédito: Diego Fernandes

Ultimas Noticias