21.5 C
Araçatuba
terça-feira, agosto 16, 2022

CPFL quer reduzir déficit de quase 30% de famílias que têm direito a desconto na energia em Araçatuba

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Araçatuba possui milhares de famílias que possuem direito a benefício para baratear a conta de energia elétrica através da Tarifa Social, mas que ainda não estão cadastrados no benefício.

De acordo com levantamento feito pela CPFL Paulista, empresa concessionária do serviço de energia elétrica em Araçatuba e várias cidades da região, somente no município são 2.306 famílias que têm direito, mas ainda não estão cadastradas, o que corresponde a 29,05% de todas que podem ser beneficiadas

Os descontos oferecidos são cumulativos. Nos primeiros 30 kWh é de 65%, entre 31 e 100 kWh é de 40% e entre 101 e 220 kWh é de 10%. 

Segundo o diretor comercial das distribuidoras CPFL Energia, Rafael Lazzaretti, esse cadastro geralmente é feito automaticamente, mas há chance de incompatibilidade, como em caso de divergência de dados do Cadastro Único e da CPFL.

Caso o titular da conta não tenha seu CPF no CadÚnico do governo federal, ou o morador de baixa renda não procurou o CRAS para fazer o CadÚnico, ou caso haja dados divergentes entre os dois cadastros ou a unidade consumidora não esteja cadastrada como residencial, podem provocar esta divergência.

A CPFL informou que 10.244 famílias poderiam estar recebendo descontos na tarifa de energia elétrica em Araçatuba, mas apenas 7.938 clientes estão cadastrados. Em Birigui, poderiam ser 5.055 famílias, mas atualmente são 4.940, uma demanda de 115 que ainda não está regularizada.

A empresa vai agir junto com o poder público para identificar estar famílias e chegar aos 100% de cadastrados.

“A CPFL está trabalhando com as prefeituras a fim de que, juntas, possam identificar clientes que têm direito à Tarifa Social e ainda não recebem. Por estar mais próximo das famílias e acompanhar muitas delas, o CRAS é nosso ponto focal, também por ser a porta de entrada de muitas demandas sociais nos municípios. Queremos que todos os clientes que tenham direito ao desconto da Tarifa Social de fato recebam esse benefício”, disse Rafael Lazzaretti. 

Em todos os municípios atendidos pela CPFL Paulista, são 381 mil cadastrados, sendo que 496 mil clientes teriam direito ao benefício.

Famílias inscritas no CadÚnico, com renda mensal per capita abaixo de um salário mínimo; indígenas e quilombolas também cadastrados; idosos com 65 anos ou mais que recebe benefício de prestação continuada, o BPC; e família inscrita no CadÚnico que tenha portador deficiência ou doença, cujo tratamento exija o uso de aparelhos que consomem muita energia elétrica, possuem direito à Tarifa Social.

Para que o benefício seja concedido, o cliente precisa ter exatamente as mesmas informações no cadastro de programas sociais do Governo Federal, o critério básico para a concessão da Tarifa Social, e na base de dados da companhia de energia.

Isso inclui nome completo sem erros ou abreviações, números de documentos como CPF, RG e NIS, além do endereço. O primeiro passo, então, é se certificar de que os dados do CadÚnico ou BPC (Benefício de Prestação Continuada) e da conta da CPFL estão compatíveis. Para isso, o CRAS mais próximo pode ser consultado.

“O cliente que for titular da conta de energia não precisa mais ir a uma agência ou entrar em contato com a CPFL. Todo o trabalho de busca aos beneficiários é feito pela CPFL, que cruza os dados do Ministério da Cidadania com sua base de clientes para conceder o direito da Tarifa Social”, seguiu Lazaretti. (Com informações da CPFL Paulista)

 

Ultimas Noticias