23.6 C
Araçatuba
sábado, maio 21, 2022

Construtores fazem carreata e ‘invadem’ a Câmara em protesto

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Construtores e profissionais e empresários ligados à construção civil participaram de uma carreata no fim da tarde de ontem em Araçatuba. A concentração foi em um depósito de material de construção no Bairro Água Branca, na zona norte da cidade. Depois, dezenas de carros participaram de uma carreata pelas principais ruas da cidade em diferentes regiões. O ato terminou na Câmara Municipal, onde dezenas de manifestantes entraram para acompanhar a sessão ordinária.

O ato foi programado como mais uma tentativa para acelerar o processo de revogação de uma lei aprovada pela Câmara Municipal de Araçatuba que define em 200 metros quadrados a metragem mínima de terrenos para construção de imóveis. De acordo com os manifestantes, a lei foi aprovada em fevereiro pela Câmara, prejudicará a execução de programas sociais em Araçatuba, como por exemplo, o Casa Verde e Amarela, que possui imóveis construídos em terrenos com metragem menor, como os residenciais Beatriz e Atlântico.

Para eles, a medida pode causar um arrefecimento no mercado da construção civil, que foi um dos poucos que teve grande expansão nos últimos anos, mesmo com a pandemia. Profissionais da área estimam que pode haver uma diminuição de até R$ 100 milhões de investimento anual em construção civil em Araçatuba, o que pode prejudicar mais de 2 mil empregos diretos.

Segundo Renato Manoel, um dos participantes do manifesto, que esteve na carreata e na Câmara Municipal, foi um ato que os profissionais entenderam ser necessário, porque a lei que proíbe o desdobro em Araçatuba, que seria terreno de 5×25 metros, totalizando 125 metros quadrados, pode trazer impacto muito grande para a cidade. “O dinheiro do Programa Casa Verde e Amarela é federal. Os pequenos construtores, recebem pela venda destes imóveis e reinvestem no comércio local, como lojas de material de construção, piso, elétrica, hidráulica e madeira. Sem esses recursos, vai ter um impacto muito grande na economia”, acrescentou Renato Manoel.

 

 

Ultimas Noticias