DESERTO - Rua dos Libaneses, a a50 metros do fórum, completamente deserta COLABORAÇÃO DO LEITOR

Com 12 casos da cepa brasileira do coronavírus, cidade paulista proíbe circulação de pessoas

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARARAQUARA

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou 12 casos da cepa (Manaus) brasileira do novo coronavírus em Araraquara. Desde o início da pandemia, a cidade totalizou 12.127 casos positivos e 147 mortes desde o início da pandemia. Devido à gravidade a rapidez do aumento de casos recentemente, o prefeito Edinho Silva (PT) fez um pronunciamento na sexta-feira e baixou decretos com medidas restritivas mais rigorosas. Pode ser considerado um lockdown, já que as pessoas, desde essa segunda-feira, não podem circular pela cidade, em qualquer horário, sem justificativa.

 

Para tentar frear uma nova onda da doença, um decreto proíbe a partir desta segunda-feira (15) a circulação de pessoas pela cidade sem justificativa.

O decreto vai além. Até mesmo serviços essenciais estão com mais limitações. Supermercados, hipermercados, açougues, padarias, feiras livres, cerealistas podem funcionar somente até às 20h. Já os postos de gasolina podem funcionar de segunda a sábado, até as 19 horas, proibindo o atendimento presencial nas lojas de conveniência, exceto se tiver padaria.

As medidas atingem também a construção civil. Lojas de materiais de construção e de tinta estão proibidas de funcionar. Já os bares e restaurantes só podem atender pelos sistemas delivery e drive-trhu, desde que tenham estrutura para atender sem o cliente sair do carro.

O decreto assinado pelo prefeito proíbe o atendimento presencial em shopping center, galerias e estabelecimentos congêneres; comércio e serviços em geral; bares e restaurantes; salões de beleza e barbearias; academias de esportes de todas as modalidades, centros de ginásticas e estabelecimentos congêneres; VI educação complementar não regulada;

eventos, convenções e atividades culturais; atividades de construção civil, incluídas as lojas de tintas e de materiais para construção.

 

Hospitais e farmácias

Os hospitais, clínicas, farmácias, lavanderias, serviços de limpeza e postos de combustível que compõem a rede de abastecimento dos serviços públicos municipais, estaduais e federais localizados no município, bem como da Polícia Militar, poderão funcionar para além da limitação horária imposta de 20h.

Até mesmo a indústria foi atingida, restringindo a 30% a lotação dos veículos de transporte de funcionários e mantendo distanciamento de um trabalhador para outro.

 

 

Bancos

Atividades de atendimento ao público ou de autoatendimento em agências bancárias, cooperativas de crédito ou estabelecimentos congêneres, mediante a observância de filas com espaçamento de três metros entre as pessoas, com obrigação de manutenção, pelo estabelecimento, de empregado ou segurança durante toda a duração do atendimento ou do autoatendimento.

Os estabelecimentos também devem desinfetar totalmente as dependências antes da abertura e após o fechamento das atividades diárias, bem como da manutenção de fluxos constantes de desinfecção durante o horário de atendimento presencial ao público. Os estabelecimentos são obrigados também a instalar, em como todos os seus pontos de entrada, tapete sanitizante para desinfecção de calçados; aferir a temperatura corporal por termômetro clínico sem contato,

previamente ao ingresso no estabelecimento, de todas as pessoas, inclusive dos empregados do estabelecimento e dos respectivos prestadores de serviços.

 

 

 

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Morre, aos 41 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – SÃO PAULO O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morreu …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *