15.4 C
Araçatuba
segunda-feira, maio 16, 2022

Buscando ser a extensão do lar, Colégio Alameda completa terceiro ano de atividade em Araçatuba

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Criado e idealizado pela pedagoga Bruna Morbeck, o Colégio Alameda é um dos empreendimentos educacionais mais recentes de Araçatuba e obteve um crescimento rápido com um novo conceito para o ensino infantil. Feito para ser a extensão da casa dos alunos, como ressalta a sua diretora, o colégio tem atualmente quase 300 alunos entre os 4 meses e os 8 anos de idade.

 

A ideia do nome surgiu pelo apreço de Bruna pelo verde e pela natureza. Utilizando o significado de uma rua arborizada, a diretora explicou por telefone o motivo do nome de batismo da escola. 

 

“Eu queria um espaço que fosse verde, que as crianças tivessem um contato com a natureza, que tivesse árvores, que fosse bem arborizado. Aí surgiu o Alameda, em uma pesquisa, que é uma rua, uma avenida de árvores, até a gente fez uma ali na entradinha da Mato Grosso, que é com a rampinha e os coqueiros do lado, então ficou Alameda”, afirmou por telefone. 

 

A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL esteve na última semana nas dependências do colégio e no mesmo período a diretora Bruna Morbeck estava de licença por ter sido mãe pela segunda vez. Com isso, a coordenadora pedagógica Ellen Cristina Alves atendeu à equipe do jornal, mostrando as dependências do colégio e explicou o direcionamento pedagógico. 

 

Segundo ela, a proposta da escola, desde sua criação, é estimular as crianças através de atividades para que elas se desenvolvam junto com o aprendizado. 

 

“A proposta do Colégio Alameda é que ele seja uma extensão da casa. Enquanto educação, cuidados e acolhimento. Então o nosso colégio oferece uma área externa, então as atividades pedagógicas e lúdicas são prioridades para nós, e elas são realizadas na área externa para trazer esse acolhimento para a criança. Então essa abordagem criativa que nós temos aqui, a criança é protagonista de tudo aquilo que ela vivencia, então ela descobre, ela vivencia, ela explora, e só depois vem o registro. Todo esse processo faz com que a criança se desenvolva, a criatividade, a imaginação, essa é uma das propostas do Colégio Alameda”, explicou Ellen Cristina.

 

Atualmente, a escola conta com salas de berçário, educação infantil e ensino fundamental. A turma mais jovem de alunos do colégio possui apenas quatro meses.

 

“Com 4 meses eles já entram no nosso colégio, trabalham toda a parte sensorial, tem estímulos de fisioterapia, tem as aulas extras que são oferecidas para desenvolver as habilidades junto com a nossa proposta pedagógica. Tenho os alunos até o segundo ano este ano com 7 e 8 anos”, explicou. 

 

Histórico

 

O colégio foi criado em 2019 e fica no bairro Jardim Sumaré, um local tranquilo que possibilita facilidade para os pais na hora de levar e buscar os filhos na instituição. 

 

Segundo a coordenadora Ellen Cristina, todo o projeto foi idealizado pela diretora Bruna, com apoio de Antônio Carlos Morbeck, o mantenedor. A escola foi desenvolvida sob um ambiente convidativo, colorido e chamativo para os alunos, além de manter-se como um local acolhedor pelos pais.

 

“O colégio tem 3 anos, ele surgiu em 2019 através de um sonho, foi idealizado pela Bruna, e ele veio com uma proposta diferenciada para os nossos alunos”, disse. 

 

Ellen conta que tanto ela quanto Bruna trabalharam em outra escola na cidade e ganharam experiência pedagógica para a criação de um colégio sob um novo conceito estrutural.

 

“A Bruna sempre idealizou o Colégio Alameda, ela sempre foi muito dedicada a essa parte de pedagogia, ela sempre se empenhou muito. E aí, em várias conversas minha e dela, inclusive com outras pessoas que participaram junto com a gente, a gente sempre se perguntava: a criança tem algumas outras habilidades que precisam ser desenvolvidas antes da alfabetização, e a gente pensa na primeira infância, então o que eu posso fazer para ela se desenvolver integralmente para que ela tenha mais facilidade ao longo dos outros desafios? Antes do ler, do escrever, a criança precisa desenvolver alguns pré-requisitos para que isso seja realmente tranquilo, leve, natural, como a gente acredita”, completou.

LÚDICO – Crianças aprendem e se divertem no local
IDEALIZADORA – A empreendedora e diretora Bruna Morbeck inaugurou o colégio em 2019

Ultimas Noticias