18 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 10, 2022

Artistas cobram prefeitura de Araçatuba por “inércia” no socorro ao seguimento durante a pandemia

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

A União dos artistas de Araçatuba segue cobrando a Prefeitura Municipal para providências quanto aos trabalhadores do setor no município, que estão sem poder apresentar seus trabalhos por conta da pandemia do novo coronavírus, que afetou em cheio os eventos com presença de público, fundamentais para boa parte da classe.

Representando um grupo de quase 300 artistas, novo manifesto feito por esta União no final da última semana, criticou veementemente a, até aqui, única proposta da secretaria de cultura do município para a classe: cerca de R$ 10 mil para a apresentação de lives.

De acordo com o texto do novo manifesto, o orçamento atual da pasta é R$ 7,2 milhões, sendo que R$ 6 milhões estariam em caixa para a realização de políticas culturais. O manifesto ainda lembra que a pasta não terá gastos neste ano com organização de eventos por conta da pandemia. “Pergunta-se: Esse dinheiro está guardado porque? Vai pra onde? Vai pra quem”, diz trecho do comunicado.

O manifesto afirma que foi sugerido pelo secretário de esportes e cultura do município, Sérgio Tumelero, a apresentação de propostas por parte dos artistas. A sugestão ocorreu em reunião, porém, mesmo após carta com propostas, a pasta não teria tomado providências quanto às propostas.

Outro ponto tocado pelos artistas foi o que eles chamaram de “tentativa de interferência” da secretaria na formação do Conselho Municipal da classe. Segundo eles, já houve a indicação que cabia aos artistas das vagas no conselho, porém até o momento a prefeitura não efetivou os trabalhos, o que segundo o manifesto é uma medida urgente.

O grupo fala em “inércia” da secretaria de cultura e da Câmara Municipal na agilização das providências para a classe artística araçatubense. Segundo o texto, falta “vontade política, iniciativa e empatia”.

Contratações fracionadas

O manifesto traz também trecho da Medida Provisória 961/2020, que permite contratações diretas no valor de até R$ 50 mil sem a necessidade de licitação. Segundo eles, a medida não fala em contratações relacionadas apenas à pandemia da covid-19.

Com isso, a proposta dos artistas é de fracionamento da contratação, seguimento as contratações por grupo de artista. Segundo o texto, esta seria a melhor medida para socorrer a classe, que segundo eles, passa por graves dificuldades de sobrevivência e manutenção da renda.

Propostas

Segundo os artistas, algumas propostas dentro deste fracionamento já foram apresentadas por seguimentos artísticos da cidade.

Artistas de circo e teatro, que são 36 no total no município, segundo o texto, apresentaram projeto que demandaria o limite de contratação de R$ 50 mil. Já outros seguimentos como artes plásticas, artesanato e produtores culturais, apresentaram projetos menores.

O seguimento de músicos, que conta com mais de 100 adeptos, ainda não formalizou proposta. Até o momento, as propostas apresentadas demandariam um investimento de R$ 208 mil por parte da secretaria, que beneficiaria até 123 artistas. A estimativa é que, todas as propostas que serão apresentadas, vão demandar verba de aproximadamente R$ 500 mil, que neste caso atenderiam os cerca de 300 artistas representados no manifesto. O valor representa 10% do orçamento disponível da secretaria de cultura.

A prefeitura municipal de Araçatuba e a secretaria de cultura ainda não responderam ao novo manifesto enviado pela classe artística.

Ultimas Noticias