FORMALIDADE - Segundo economista, começo do ano será crucial para se traçar perspectiva para o mercado de trabalho devido ao fim dos programas emergenciais AGÊNCIA BRASIL

Araçatuba cria mais de 300 vagas de trabalho com carteira assinada

Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

No penúltimo mês do ano, Araçatuba teve o melhor desempenho de toda a região na geração de empregos com carteira assinada. Somente em novembro, a cidade criou 336 postos de trabalho formais, número resultante da diferença entre 1.814 admissões e 1.478 demissões.

Os números foram apurados pelo economista Marco Aurélio Barbosa de Souza, especialista em economia regional, com no mais recente levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, divulgado ontem.

O estudo apontou que, dentre as quatro maiores cidades da região, Birigui também apresentou saldo positivo. Penápolis e Andradina, por outro lado, demitiram mais do que contrataram.

Numa análise conjunta das quatro cidades, o estudioso constata que os destaques setoriais na abertura de oportunidades foram os segmentos de comércio e indústria. Já os ramos de serviços, construção e agropecuário tiveram saldo negativo no mês. O pesquisador explica que o setor de serviços tem enfrentando maiores dificuldades para retornar seu ciclo de crescimento.

INTERRUPÇÃO

Já numa avaliação por cidade, Barbosa observa que Penápolis e Andradina puxaram para baixo o saldo regional em comparação com o mês anterior, pois registraram o encerramento de 229 e 43 postos, respectivamente. Birigui, por sua vez, teve saldo positivo de 33 vagas.

O economista destaca os saldos negativos de Penápolis e Andradina interromperam uma trajetória de recuperação observada para esses dois municípios, sendo necessário aguardar os resultados para o mês de dezembro e início de ano para uma análise mais aprofundada da dinâmica empregatícia dessas duas cidades.

RECUPERAÇÃO

Por outro lado, para os municípios de Araçatuba e Birigui, os resultados apontam para a continuidade de uma tendência de recuperação, cuja consolidação depende também do comportamento da empregabilidade nos próximos meses.

Barbosa enfatiza, nesse sentido, que o primeiro trimestre de 2021 será crucial para uma possível análise do cenário macroeconômico e o impacto da retirada de vários estímulos de política econômica implementados pelo governo durante a pandemia, sobretudo o auxílio emergencial e o programa de suspensão e redução da jornada de trabalho.

NÚMEROS NACIONAIS

Em nível nacional, pelo quinto mês consecutivo, o número de contratações com carteira assinada superou o de demissões no Brasil. Segundo dados do Caged divulgados nessa quarta-feira (23) , o país criou 414.556 vagas de emprego em novembro. O número é o melhor da série histórica da pesquisa, iniciada em 1992.

Diante da sequência de dados positivos, o saldo acumulado em 2020 ficou positivo pela primeira vez e chegou a 227.025 postos de trabalho criados ao longo do ano.

O desempenho no ano foi motivado especialmente pelo programa do governo que permitiu a suspensão de contratos de trabalho e a redução de salários e jornada, medida que, segundo especialistas, evitou um número maior de demissões.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

SP autua dez estabelecimentos em primeira noite de toque de restrição

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – SÃO PAULO A Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *