8.2 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 18, 2022

Aluguel até R$ 1.250 foi opção de 60% dos inquilinos na região de Araçatuba

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

A locação de imóveis residenciais cresceu 8% em novembro em comparação com outubro em Araçatuba e nas demais seis cidades pesquisadas pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP) com 17 imobiliárias e corretores credenciados da região. 60% dos imóveis alugados têm aluguel mensal de até R$ 1.250,00.

Apenas casas foram alugadas no décimo primeiro mês do ano passado, distribuídas entre os bairros de periferia (77,78%), de regiões nobres (11,11%) e de áreas centrais (11,11%). 53,85% dessas residências têm padrão construtivo mais simples, e 46,15%, padrão médio.

As casas de 3 dormitórios somaram 60% do total de novas locações, e as de 2 e 1 quartos, 20% cada. A área útil de 60% dessas residências mede em média entre 101 e 200 metros quadrados, e das outras 40%, entre 51 e 100 metros quadrados.

Segundo a pesquisa CreciSP, 60% das casas alugadas têm duas vagas de garagem, 20% têm uma vaga e 20% não têm nenhuma vaga.

A pesquisa CreciSP foi feita nas cidades de Araçatuba, Auriflama, Avanhandava, Birigui, Guararapes, Ilha Solteira e Promissão.

Vendas

As vendas de imóveis usados caíram 64,84% em novembro frente a outubro em Araçatuba e em outras seis cidades da região.

As vendas feitas com financiamento de bancos tiveram participação reduzida de 40% em outubro para 27,27% em novembro no total de negócios fechados.

O volume de vendas feitas à vista subiu de 30% para 36,36% nesse mesmo período e as efetivadas com pagamento parcelado pelos proprietários de imóveis aumentaram de 20% para 36,36%.

Casas e apartamentos usados com preço final médio de até R$ 100 mil representaram 50% das vendas de novembro, mesmo percentual dos que foram vendidos por preços entre R$ 101 mil e R$ 200 mil.

A pesquisa do Creci também apurou que todos esses imóveis são de bairros de periferia e de padrão construtivo standard (66,67%) ou médio (33,33%).

“Esse refluxo nas vendas acontece por vários motivos, como o eventual trâmite mais demorado dos processos de concessão de financiamentos, mas também está relacionado a uma questão estrutural do crédito bancário nessa região nos últimos meses”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP.

Entre agosto e novembro, as pesquisas do CreciSP apontaram uma discrepância entre os financiamentos concedidos pela Caixa Econômica Federal e outros bancos, especialmente os privados. A CEF foi responsável por 81,82% dos financiamentos em agosto, 24% em setembro, 20% em outubro e 27,27% em novembro.

Os demais bancos financiaram apenas 6,06% em agosto, nada em setembro, 20% em outubro e nada em novembro.

“A ausência dessa participação, independentemente dos motivos, afeta negativamente o desempenho do mercado de imóveis usados porque o principal meio de acesso à casa própria perde espaço para modalidades de compra que demandam mais recursos, como as vendas à vista, o que limita o crescimento das vendas ou as reduz ao longo do ano”, esclarece Viana Neto.

Somente casas

As 17 imobiliárias e corretores consultados pelo CreciSP nas sete cidades da região de Araçatuba venderam somente casas em novembro. As residências vendidas têm dois dormitórios (75%) e três dormitórios (25%).

A área útil de 75% delas mede entre 51 e 100 metros quadrados e das demais 25%, entre 101 e 200 m2. Segundo a pesquisa, 50% das casas vendidas têm duas vagas, 25% têm uma vaga e 25% não têm nenhuma vaga.

 

 

Ultimas Noticias