ENCONTRO - Após o futebol, os amigos ficam no local para a comemoração

Aglomeração em áreas públicas gera revolta de vizinhos e mostra falta de critério

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

“A lei é para todos ou só para alguns?” A pergunta foi feita por um morador do Bairro Dona Amélia cansado de ver os abusos cometidos pelos frequentadores de um campo de futebol, que ficam até tarde da noite de sábado numa espécie de barzinho improvisado com direito até mesmo a churrasqueira. O fato já seria grave se fosse em área particular. Mas não é. Tudo isso acontece no campo de futebol dentro da área do Zoológico Municipal Flávio Leite Ribeiro. Vizinhos relataram que já chamaram a Guarda Municipal e a Polícia Militar, mas ninguém apareceu. O problema é recorrente. Já no centro comunitário da Rua Bauru, a atividade foi no domingo e se estendeu até próximo das 23 horas, com bebidas e bingo. E claro, sem uso de máscara.

Moradores próximos ao zoológico procuraram a reportagem de O LIBERAL REGIONAL na sexta-feira, dia 12 de fevereiro, para denunciar as atividades no campo do zoológico, localizado na esquina das ruas Dona Amélia e Alvares de Azevedo. Os denunciantes disseram que grupos de amigos se reúnem para jogar bola e depois permanecem na área até depois das 22 horas.

A reportagem esteve no local três vezes no sábado (13), no início e fim da tarde e no início da noite. No início da tarde apenas uma pessoa estava na área coberta, onde há um freezer e uma churrasqueira. Já no fim da tarde, muitos carros estacionados e partida de futebol. Depois, a confraternização, com aglomeração. Neste dia, o denunciante disse que acionou a Guarda Municipal, mas ninguém apareceu.

No domingo de manhã, a reportagem voltou ao local e havia movimentação de pessoas. Dessa vez eram crianças que se reuniram para jogar bola e participarem de uma “peneira”. No entanto, segundo o denunciante, momentos depois guardas municipais estiveram no local e dispersaram as pessoas.

Já no sábado, dia 20, novamente o fato se repetiu. Outra vez o denunciante acionou a Guarda Municipal, mas foi informado de que não havia contingente. O encontro se desenvolveu até tarde da noite, sem que qualquer fiscalização fosse ao local. No domingo (21), não teve atividade.

 

CENTRO COMUNITÁRIO

No domingo, outra denúncia de aglomeração, desta vez no Centro Comunitário da Rua Bauru, no Nossa Senhora Aparecida. Messias Bispo Ribeiro disse que a aglomeração começou cedo e foi até depois das 22h30. Segundo ele, teve bingo, tambores e música o dia inteiro. Bispo afirmou que recorreu à Polícia Militar e à Guarda Municipal, mas sem resposta positiva.

No domingo à noite ele procurou a reportagem para fazer a denúncia e a aglomeração continuava sem qualquer ação de fiscalização.

 

RUA BRAÚNA

Na segunda-feira à noite foi a vez de um morador da Rua Braúna telefonar à redação para reclamar do barulho de uma casa. Segundo ele, pode ser atividade religiosa, mas depois das 22 horas e com aglomeração em local inapropriado.

 

PREFEITURA E FISCALIZAÇÃO

A reportagem fez vários questionamentos à Prefeitura sobre os decretos e proibições.

“O plano São Paulo é claro. Não está autorizado campeonatos ou jogos de futebol, ou qualquer outro esporte coletivo. Quanto a reuniões noturnas, se é em uma residência (âmbito familiar), a prefeitura não tem autoridade para entrar e multar. Porém, caso haja perturbação de sossego, a denúncia deve ser feita à Polícia Militar”, diz a Prefeitura sobre as restrições.

Quando questionada a quem a população deve recorrer, a resposta foi direta. “Em caso de aglomerações em estabelecimentos comerciais, festas em chácaras ou áreas de lazer, a pessoa deve ligar para o 153 da Guarda Municipal.

Os ficais de postura estão trabalhando em regime de plantão, e todos final de semana fiscaliza locais denunciados pela população”, informou a prefeitura.

De acordo com a resposta da Prefeitura, “neste final de semana, uma equipe de ficais, autuou e paralisou uma festa que estava ocorrendo na Chácaras TV (Boate, sito Leila Diniz). Também foi autuada uma tabacaria no bairro Hilda Mandarino, desse local também foram apreendidos equipamentos de som pela Polícia Militar. Ainda neste final de semana, 7 estabelecimentos que descumpriram o horário do decreto, no qual permite a abertura até as 22h, também foram autuados. Outros 4 por descumprimento da capacidade de atendimento (aglomeração) e 1 auto por perturbação de sossego. Neste final de semana a fiscalização esteve em 02 campos de futebol, porém não estava tendo nenhuma atividade. A fiscalização retornará ao local em outras datas”.

 

No mês de fevereiro 14 campos de futebol tiveram partidas de futebol paradas

Portanto, a aglomeração continua proibida, assim como esporte coletivo. Porém, não é o que se observa exatamente em uma área pública anexa ao zoológico, que está fechado para visitação há vários meses, assim como outras áreas de recreação e lazer como o Parque da Fazenda e o Parque Ecológico Baguaçu.

 

ACESSO FÁCIL

O que chamou a atenção dos vizinhos do zoológico é a facilidade com que os frequentadores do local conseguem acesso até para deixar veículos estacionados nba parte interna, próximo ao campo, enquanto as crianças não podem nem mesmo brincar no parquinho do zoológico.

 

ESTACIONAMENTO – Os veículos ficam estacionados dentro da área do campo

Compartilhe esta notícia!

Veja também

Escolas voltarão a receber alunos a partir do próximo dia 19

Compartilhe esta notícia!O momento ainda é delicado no combate à pandemia em Araçatuba, mas as …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *