Compartilhe esta notícia!

Seu Manoel era obeso, hipertenso e extremamente sedentário. Vivia à custa de remédio, irritado e improdutivo. Entrou para academia, contratou um personal e remodelou sua vida. Subiu de cargo, participa de corridas de rua e conseguiu além de perder peso, melhorar seu relacionamento e não precisar mais tomar remédios. Seu Manoel agora está em casa, com insônia e sinais de depressão.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo é considerado o quarto maior fator de risco de morte do mundo. No Brasil, estima-se que 44% da população seja sedentária, além disso, que o sedentarismo esteja relacionado com quase 14% das mortes em no nosso país (Ministério da Saúde). Para complementar, o número de pessoas com sobrepeso no Brasil, segundo também a OMS, equivale a 55,7% (2019). Junto ao sedentarismo e sobrepeso, começam aparecer diversas comorbidades, como hipertensão, diabetes tipo 2, hipercolesterolemia… levando a Síndrome Metabólica. E com isso tudo, temos também  a ineficiência para o dia-a-dia devido a falta de força, redução de massa muscular e óssea, excesso de gordura, sono irregular, dentre outros.

Esses dados assustadores veem para reforçar a importância do profissional de educação física e das academias na promoção da saúde. É necessário destigmatizar as academias como lugar exclusivamente de melhora estética. Claro que esse fator é relevante e consequência de aplicação e cuidado também com alimentação, mas de fato não é o principal resultado em que se deve ter foco. Veja os diversos fatores em que a academia pode colaborar e mudar a vida das pessoas:

  • Melhora da auto-estima
  • Auxilia no tratamento da depressão
  • Redução de estrese
  • Saúde cardiovascular
  • Aumento da força
  • Aumento de massa muscular e óssea
  • Melhora da circulação
  • Redução de dores. Ex.: fibromialgias
  • Regulação da pressão arterial
  • Controle glicêmico
  • Melhora da criatividade, foco e motivação para as tarefas diárias
  • Redução de gordura corporal (principalmente visceral)
  • Melhora da imunidade

São inúmeros os benefícios que podemos listar e que não estão atrelados somente a estética. Agora nesse momento crítico que estamos passando, quantos dos fatores listados acima estão acontecendo inversamente? Todos! É claro que diversos protocolos de cuidados especiais devem ser ainda mais aplicados para redução de riscos. Os órgãos responsáveis que dão as diretrizes para funcionamento, já criaram os processos adequados para tudo ser restabelecido e as pessoas poderem voltar a se cuidar (vide www.crefsp.gov.br e www.acadbrasil.com.br) Nós aqui da Class sempre procuramos ter um cuidado extremo com a higienização e já estamos prontos para seguir á risca todo protocolo. Há um álcool em gel por cliente e em todos ambientes, troca de ar constante e ambiente arejado, um cliente a cada 20m² (muito mais que o recomendado), horários agendados, evitando aglomerações, higienização instantânea de acessórios e equipamentos, além é claro, do uso obrigatório de máscaras para todos que estiverem dentro do estabelecimento.

Quando o assunto é imunidade, vale ressaltar a influência do exercício físico, boa alimentação e sono. Nesse momento em que todos estão procurando estratégias para manter-se com a saúde em dia e reduzir as chances de contaminação, o exercício mais uma vez, mostra-se crucial. Ele aumetna a função das células do sistema imunes. O efeito é crônico, por isso a necessidade da prática constante. Intensidades e volumes inapropriados podem ter efeito adverso. A importância do controle dessas variáveis por um profissional capacitado, fará a diferença entre proteção e extrapolação. 

Concluindo, se houvesse mais atenção a prevenção, valorização dos profissionais da saúde, como o de educação física, haveriam mais academias trabalhando e menos hospitais ocupados. Que retornem academias e se esvaziem os hospitais.

Renato Tozin

Empresário e Personal Trainer

Especialista em Grupos Especiais e Personal Trainer

Criador da metodologia Trainer 1

MBA em Administração e Finanças


Compartilhe esta notícia!