Plantão Policial

Homem morre atropelado na faixa de pedestres em Araçatuba

Araçatuba registrou mais uma morte no trânsito no início da semana, outra por atropelamento, em uma das principais avenidas da cidade, na Araçá. José Carlos de Souza Pereira, de 58 anos de idade, não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. A autora do atropelamento, uma mulher de 49 anos, contou à polícia que não viu o homem atravessar a via por conta do Sol, que ofuscou sua visão. O detalhe é que a vítima atravessava na faixa de pedestres.

 

A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL apurou no local que o atropelamento ocorreu por volta das oito horas da manhã. A vítima aguardava a travessia em uma escada, que fica na antiga estação ferroviária do município quando o motorista de um carro parou para que ele pudesse atravessar, fazendo até mesmo sinal que poderia ir.

 

O condutor do veículo era Wellington Esgalha, funcionário público municipal. Ele contou que o homem estava receoso de atravessar, mas depois que deu sinal a ele começou a caminhar. “O semáforo estava fechado ainda. Eu parei para dar passagem a ele. Quando passou pelo meu carro acabou sendo atropelado pelo outro veículo”.

 

Pereira foi atingido por um Chevrolet/Corsa, que estava na faixa da esquerda. Ele foi arremessado e teria batido a cabeça contra o asfalto. Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou a ser acionada, mas a vítima já estava sem vida. A área teve que ser isolada para o trabalho da perícia técnica por mais de uma hora.

 

Por conta de ser uma via de grande movimentação, guardas municipais interditaram o trânsito na altura do cruzamento da Araçás com a rua do Fico. O local onde o atropelamento ocorreu é composto por uma lombada e logo em seguida existe a faixa de pedestres.

 

A motorista do carro que atingiu a vítima estava em estado de choque e não quis falar com a reportagem. Ela carregava uma criança no interior do automóvel quando tudo aconteceu. À polícia, ela contou que não enxergou o homem atravessando, já que teve a visão ofuscada pela luz solar da manhã. Ela não apresentava sinais de embriaguez e as documentações do veículo estavam em ordem.

 

O laudo da perícia deverá ficar pronto em até 30 dias. A Polícia Civil registrou o caso como homicídio culposo, ou seja, aquele que não há a intenção de matar. Um inquérito será aberto para dar andamento às investigações. O corpo de Pereira foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal), onde passou por exame necroscópico. Até o fechamento desta edição não havia informações a respeito do velório e sepultamento.

Comment here