Plantão Policial

Caminhoneiros são encontrados 24 horas depois de roubo seguido de sequestro

Um roubo, seguido de sequestro registrado no litoral paulista terminou na região de Araçatuba durante a noite de segunda-feira (13). Dois caminhoneiros, além da esposa de um deles, tiveram os caminhões que estavam roubados por uma quadrilha. As vítimas foram libertadas após 24 horas em poder dos bandidos. O crime só foi descoberto depois que os veículos foram rastreados pelo proprietário da transportadora, um empresário de 61 anos de idade, que descobriu que as carretas estariam trafegando na região de Araçatuba. Os dois caminhões foram recuperados e dois homens, que dirigiam as carretas, acabaram presos em flagrante por receptação.

 

De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, tudo começou quando o empresário viu o anúncio de um homem identificado como Guilhermino. Ele solicitava dois caminhões para que fizessem um transporte de materiais em aço de São Vicente, no litoral paulista até Corumbá, no estado de Mato Grosso do Sul.

 

Os dois passaram a fazer a negociação e acertaram que fariam o transporte pelo valor de oito mil reais. Diante disso, o empresário mandou dois funcionários de extrema confiança até a localidade para que fizessem o serviço. Mas tudo não passava de um golpe para poder atrair os caminhoneiros.

 

Chegando ao local combinado, a Polícia Civil suspeita que os motoristas tenham sido rendidos e tiveram os dois caminhões roubados pela quadrilha. O empresário, autor do registro da ocorrência, começou a desconfiar depois que rastreou a localização dos veículos. Ele percebeu que as carretas já não estavam mais próximas e mudaram de rota na altura de Barueri, na grande São Paulo.

 

Ele fez contato com os dois motoristas por um aplicativo de mensagem e percebeu que o comportamento deles estava estranho, parecendo que tinham sido forçados a falar que estaria tudo bem. Pelo rastreador, o proprietário da transportadora conseguiu ver que os caminhões estavam na região de Araçatuba. Diante disso, ele decidiu fazer contato com a base da Polícia Rodoviária de Araçatuba.

 

Os policiais tomaram conhecimento a respeito do que estaria ocorrendo e começaram a fazer patrulhamento pela rodovia Marechal Rondon (SP-300). O primeiro caminhão foi abordado na altura do quilômetro 527, bem perto da base da polícia. O veículo era conduzido por um homem desconhecido, que entrou em contradição. Ele disse que teria sido contratado por uma pessoa desconhecida em São Paulo para fazer o transporte do caminhão até Mato Grosso do Sul.

 

O segundo caminhão foi abordado no quilômetro 519 da mesma rodovia, já em Birigui. O condutor, ao perceber que seria preso, resistiu à prisão e entrou em luta corporal com os policiais. Ele disse apenas que não sabia qual seria o destino final e que estaria em contato com um homem, que passava as informações a ele. Os dois suspeitos foram identificados como Auro Moreira da Silva, de 57 anos de idade e Anderson Silva Santos, de 39. Ambos moram na capital paulista.

 

O proprietário da transportadora compareceu até a Central de Flagrantes de Araçatuba, já que é de Maringá, no Paraná, para acompanhar o registro da ocorrência. Chegando ao local, ele não reconheceu os dois condutores como os seus funcionários, aumentando a suspeita de que os mesmos teriam sido sequestrados.

 

Os motoristas desaparecidos são Manoel Nogueira da Silva, a esposa dele, identificada apenas como ‘Neia’ e Alessandro Kadlubiski. Até o fechamento desta edição, eles não tinham sido localizados.

 

Os dois homens presos durante a ação vão responder por receptação. Eles passaram por audiência de custódia na manhã de ontem (14) no Fórum do município e tiveram a prisão preventiva decretada.

 

LOCALIZAÇÃO

 

Por volta das 16h de ontem, os três desaparecidos foram encontrados após 24 horas de sumiço. Eles foram libertados pelos bandidos e conseguiram pedir ajuda em uma empresa de Santos, também no litoral paulista. Segundo apurou O LIBERAL, as vítimas não sofreram ferimentos, mas estavam psicologicamente muito abaladas. Elas seriam transportadas pela seguradora dos caminhões a um hotel, onde passariam a noite. Todos deverão retornar ainda hoje (15) para Maringá, cidade onde moram.

 

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso e ainda tenta descobrir os outros integrantes da organização criminosa que podem ter participação no roubo seguido de sequestro.

Comment here