Plantão Policial

Polícia Civil identifica corpo de mulher que foi encontrado em decomposição

A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) identificou na tarde de terça-feira (23) o corpo da mulher que foi encontrada morta em um terreno na rua Francisco Alves, no bairro Rosele, zona norte de Araçatuba. Trata-se de Elis Franciele Alves Carneiro, de 30 anos de idade. O reconhecimento foi feito pelo ex-marido da vítima.

De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, o homem procurou a Polícia Civil após o desaparecimento repentino da mulher. Ele compareceu ao IML (Instituto Médico Legal), onde fez o reconhecimento. A mulher é natural do estado do Paraná e há cerca de três anos morava em Araçatuba com o marido, preso na madrugada do último dia primeiro de abril depois de agredir a companheira.

O caso ainda é cercado de muito mistério. A Polícia Civil ainda tem poucas provas a respeito do que aconteceu. A vítima morava em uma residência localizada no Parque Industrial. Dentro do imóvel, os investigadores encontraram marcas de sangue, inclusive em alguns locais havia sinais de que o autor do assassinato tentou limpar as manchas.

O delegado responsável pelas investigações, Rodolfo Carlos de Oliveira, disse à reportagem que a principal hipótese é de que a mulher tenha sido morta dentro da casa e levada até a rua de terra onde o corpo foi abandonado seminu, com marcas de facadas no tórax e com um saco plástico amarrado na cabeça. Tudo para despistar os policiais.

Equipes da Perícia Técnica estiveram na casa e não encontraram nenhum objeto que possa ter sido utilizado no assassinato de Elis. Câmeras de segurança poderão auxiliar nas investigações a partir de agora. Segundo vizinhos da mulher, ela sempre tinha desentendimentos com o marido e passava grande parte do dia fazendo a ingestão de bebida alcoólica em um bar que fica na esquina da residência.

AGRESSÃO E PRISÃO

A prisão do companheiro de Elis ocorreu na madrugada do último dia primeiro. Os policiais militares foram acionados para o atendimento da ocorrência e quando chegaram ao imóvel constataram que a mulher tinha um grande sangramento na cabeça.

O homem, identificado pelas iniciais J.L.R., de 33 anos, confessou as agressões e disse que utilizou uma bolsa para agredir a mulher. Segundo o boletim de ocorrência, frequentemente os policiais atendiam ocorrência de desentendimentos no local.

Diante da situação, o homem foi preso em flagrante de acordo com a Lei Maria da Penha e permanece detido à disposição da Justiça. Por esse motivo, para a polícia, é quase nula a possibilidade de participação do investigado no assassinato da mulher.

Comment here