Plantão Policial

PM prende mais um suspeito de envolvimento no assassinato de ‘Lagoinha’

Policiais militares de Araçatuba prenderam no início da noite de segunda-feira (22) mais um suspeito de ter matado Klevison de Melo Silva, de 26 anos de idade, mais conhecido como ‘Lagoinha’. O crime ocorreu no último dia 18 de janeiro no bairro São José, também em Araçatuba. Dessa vez, a polícia conseguiu deter um pedreiro de 23 anos com um revólver de calibre 38 no bairro Beatriz.

 

De acordo com informações do boletim de ocorrência, os policiais da Força Tática faziam patrulhamento de rotina pelo bairro quando foram parados por um transeunte, que não quis se identificar. A testemunha indicou o local onde o suspeito estaria armado com um revólver. A pessoa ainda disse que o homem teria participado da morte de ‘Lagoinha’.

 

Diante das informações, os PMs dirigiram-se até a rua Ministro Arnaldo da Costa Prieto e localizaram o indiciado dentro de um veículo GM/Monza. Ele foi abordado e revistado. Durante a revista pessoal, os policiais localizaram um revólver de calibre 38, com cinco cartuchos intactos, escondido na cintura do rapaz. Segundo a polícia, o investigado já era conhecido nos meios criminais como olheiro do tráfico de drogas do bairro São José.

 

Sobre a arma, o jovem disse que era para sua defesa pessoal, já que algumas pessoas ligadas a ‘Lagoinha’ estariam o ameaçando de morte. Com as evidências, o homem ganhou voz de prisão em flagrante e foi encaminhado até a Central de Flagrantes, onde prestou depoimento. O delegado plantonista manteve a prisão por porte ilegal de arma de fogo e o deixou à disposição da Justiça.

 

A arma passaria por perícia técnica. A partir de agora, os investigadores querem saber se realmente o pedreiro teve participação no assassinato de Lagoinha no início do ano, já que ele negou qualquer envolvimento em depoimento à polícia. Um inquérito foi aberto pelo terceiro distrito policial do município para dar andamento às investigações sobre o caso.

 

PRIMEIRA PRISÃO

 

No fim de março deste ano, a Polícia Militar também prendeu um auxiliar geral, de 20 anos, suspeito de participação no homicídio. Os policiais também estavam em patrulhamento pelo bairro Beatriz  quando perceberam que o indiciado ficou bastante nervoso com a aproximação da viatura, o que despertou a desconfiança dos policiais, que decidiram fazer a abordagem.

Durante revista pessoal, a polícia encontrou o revólver de calibre 22 com o suspeito. Ele alegou que estava tentando encontrar um comprador, já que gostaria de vender a arma por R$ 500,00. Durante o registro da ocorrência, os policiais descobriram que o homem é o mesmo que se envolveu em uma briga no mesmo dia do assassinato de Lagoinha, conforme relato do tio da vítima.

 

À época, o auxiliar geral, que morava em frente à residência do rapaz assassinado, inclusive teria feito ameaças de morte contra ele. Apesar disso, o auxiliar geral confessou o desentendimento, mas negou que tenha cometido o homicídio.

CRIME

O assassinato do rapaz ocorreu no último dia 18 de janeiro. De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, a vítima seria usuária de drogas. Ela morava no bairro depois de chegar do estado de Alagoas em busca de oportunidades.

O rapaz começou a se envolver em más companhias e a fazer o uso de entorpecentes. Durante a madrugada de ontem, moradores contaram que viram o rapaz em um bar. Logo depois, escutaram alguns tiros, mas até então não tinham conhecimento do que havia acontecido.

Durante a manhã, vizinhos localizaram o corpo do rapaz caído ao lado de um campo de futebol do bairro São José. Policiais militares que faziam patrulhamento nas imediações foram acionados até o local para o registro da ocorrência. Foram constatadas duas perfurações de calibre 22 na cabeça do jovem e uma no peito.

Comment here