Plantão Policial

Duas pessoas são presas na região em operação internacional contra pornografia infantil

A terceira fase da ‘Operação Luz da Infância’, que combate a exploração sexual infantil na internet, prendeu em flagrante na manhã de quinta-feira (22) dois homens em Birigui e Andradina, região de Araçatuba. Mais 59 pessoas foram presas em outros 18 estados brasileiros e o Distrito Federal. Mandados também foram cumpridos em Buenos Aires, capital da Argentina. Pela primeira vez, as equipes de segurança do Brasil contaram com o apoio argentino e também com agentes dos Estados Unidos.

Na região, os mandados foram cumpridos logo nas primeiras horas do dia. O primeiro deles em Birigui. O setor de inteligência da Polícia Civil descobriu que um desempregado, de 27 anos, estaria compartilhando e armazenando conteúdo pornográfico infantil. Diante disso, a Justiça expediu mandado de prisão contra ele.

Policiais civis do GOE (Grupo de Operações Especiais) foram até a residência do suspeito, localizada na rua Nicolau da Silva Nunes. Quando as equipes chegaram, o indiciado, identificado pelas iniciais L.H.F.R. confessou o crime. No notebook e celular do investigado foram encontrados dezenas de vídeos com cenas de sexo envolvendo crianças. Além disso, o rapaz baixava outros conteúdos no momento da prisão.

Ele foi preso em flagrante e encaminhado até a delegacia de Birigui. Lá, o homem prestou depoimento e permaneceu preso. Ele irá passar por audiência de custódia ainda na manhã desta sexta-feira (23).

Já em Andradina, policiais civis prenderam um rapaz, de 24 anos, em flagrante. Segundo apurou a reportagem, ele também armazenava vídeos pornográficos infantis. A prisão foi realizada pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). O suspeito prestou depoimento, pagou fiança e vai responder pelo crime em liberdade.

Ainda no noroeste paulista, outras seis pessoas foram presas nos municípios de São José do Rio Preto, Votuporanga e Novo Horizonte. Em Rio Preto, um servidor público do Departamento de Saúde do município também está entre os detidos. A operação contou com a participação de 300 policiais federais e 725 policiais civis.

PELO BRASIL

No total, 61 pessoas foram detidas em todo o Brasil durante os trabalhos, segundo o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. As ações seguem até hoje e mais pessoas podem ser detidas.

“Queremos deixar claro aquilo que já disse anteriormente: não existe anonimato em rede social, não existe impunidade em rede social e a Polícia Federal tem condições de chegar a quem cometer esses crimes”, disse o ministro em coletiva de imprensa.

Segundo o ministro, a operação busca não apenas aqueles que produzem esse tipo de conteúdo, mas também quem compartilha e quem guarda os arquivos no computador. A pena prevista para os crimes variam de 2 a 8 anos de prisão. Jungmann diz que os mandados de busca e apreensão foram expedidos após análise de 500 mil arquivos.

APOIO INTERNACIONAL

Pela primeira vez, a operação contou com apoio internacional dos Estados Unidos e da Argentina. “Esse é um crime asqueroso porque ele macula e profana a nossa juventude e as nossas crianças. Evidentemente isso as compromete e compromete também o nosso futuro”, disse Jungmann.

Foram cumpridos, simultaneamente, 41 mandados de buscas expedidos pelo Corpo de Investigações Judiciais do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires, na Argentina.

A Operação Luz na Infância teve início em outubro de 2017, quando foram cumpridos 157 mandados e 112 abusadores foram presos. Na segunda fase, ocorrida em maio de 2018, 579 mandados de busca foram cumpridos e 251 pessoas foram presas. (Com informações de Agência Brasil)

Comment here