Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – CORUMBÁ

Durante inauguração da Estação Radar de Corumbá, nessa terca-feira (18), o governador Reinaldo Azambuja fez dois pedidos ao presidente Jair Bolsonaro: a revitalização urgente da Malha Oeste e a manutenção da segurança integrada das fronteiras. Foi a primeira visita de Bolsonaro a Mato Grosso do Sul desde a posse.
“Quem protege as fronteiras, protege o Brasil! Esse radar com certeza vai criar as condições necessárias para nós coibirmos principalmente as entradas que nós temos hoje de entorpecentes e de ilícitos a baixa altitude que até então não poderia ser interceptada. É uma visão estratégica do nosso Estado”, afirmou o governador.
Reinaldo Azambuja lembrou ainda que as forças policiais de Mato Grosso do Sul são parceiras do Governo Federal na proteção das fronteiras com Bolívia e Paraguai, sendo as principais responsáveis pela apreensão de drogas que irrigariam os grandes centros urbanos do Brasil.
“Registramos no ano de 2020 a maior apreensão de drogas da história de Mato Grosso do Sul de todos os tempos: 467 toneladas de entorpecentes nessa parceria. Isso mostra o quão importante é a integração entre as nossas forças de segurança. Somos gratos e pela parceria e pelo apoio”.
O governador explicou ainda a importância da Malha Oeste para a economia. “Nós temos urgência na relicitação da malha oeste, nossa antiga rede ferroviária, fundamental para o desenvolvimento e a integração latino-americana. Se nós sairmos daqui, presidente, de Corumbá, o senhor chega a Cochabamba, no país vizinho, com a ferrovia implantada e estabelecida. É possível acessar os portos chilenos, então nós teríamos com a revitalização da Malha Oeste a primeira e viabilizada integração sul-americana de Atlântico e Pacífico e com certeza uma grande capacidade de desenvolvimento social e de geração de oportunidade ao Brasil e, principalmente, ao Centro-oeste brasileiro, tornando nossos produtos competitivos aos mercados internacionais”

Estação Radar
O novo instrumento irá reforçar o sistema de radares e monitoramento da Força Aérea Brasileira (FAB) para reprimir ações do tráfico aéreo. A estação possui dois radares (o primário LP23SST-NG e o secundário RSM97OS) para controlar o espaço aéreo com foco na melhoria da cobertura em baixas altitudes para a identificação da presença de aeronaves não-autorizadas com cargas ilícitas, no território brasileiro.
A estrutura instalada em Corumbá é resultado da parceria firmada em 2018 entre a Força Aérea Brasileira (FAB) e a empresa Omnisys, subsidiária do Grupo Thales no Brasil, que prevê ainda a instalação de sistemas de vigilância em Porto Murtinho e Ponta Porã.

Combate ao narcotráfico
Mas são as forças policiais de Mato Grosso do Sul, em especial o DOF (Departamento de Operações de Fronteira), as principais responsáveis pelas apreensões de drogas do país. De janeiro a agosto de 2020, a polícia sul-mato-grossense tirou de circulação mais de 424 toneladas de drogas, um aumento de 88% em relação ao mesmo período do ano passado.
Desde 2015, as forças estaduais apreenderam 2.057 toneladas de maconha e cocaína, que teriam como destino os grandes centros urbanos nacionais e internacionais, segundo a Superintendência de Inteligência da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

GOVERNO FEDERAL
“De maio para cá, não só Polícia Federal, bem como a Polícia Rodoviária Federal, vem batendo recordes de apreensão de drogas e armamento pelo Brasil. Isso que estamos inaugurando aqui, que é um projeto de algum tempo, vai colaborar e muito no combate a esse tipo de crime em nosso país”, disse o presidente Jair Bolsonaro durante a inaguração.
“Somente neste ano, segundo a FAB, foram interceptadas mais de 3,5 toneladas de cocaína em voos clandestinos da Bolívia para o Brasil, por meio das unidades de caça, na maioria das vezes interceptações do Esquadrão Flecha, da Ala 5 (antiga Base Aérea de Campo Grande)”, diisse o presidente, acrescentando que, de janeiro a agosto deste ano, a polícia sul-mato-grossense também tirou de circulação mais de 424 toneladas de drogas, um aumento de 88% em relação ao mesmo período do ano passado. (Com informações Sub Secretaria de Comunicação e Agência Brasil).


Compartilhe esta notícia!