Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) de Três Lagoas, por meio de uma ação conjunta das equipes da diretoria de Proteção Social Especial, com o apoio e participação da Polícia Militar, vem intensificando diariamente as ações de abordagem social e oferta de acolhimento às pessoas que vivem em situação de rua.

Portando devidamente EPIs – Equipamentos de Proteção Individual, notadamente máscaras, o pessoal da Assistência Social esteve nessa semana na Praça do Alvorada e na Orla da Lagoa Maior, em locais onde, nos últimos dias, têm ocorrido aglomerações de pessoas em situação de rua.

“Neste tempo de pandemia da covid-19, estas ações de abordagem social estão sendo realizadas diariamente, no período da manhã e à noite, porque, infelizmente, mais que dobrou o número das pessoas que vivem em situação de rua”, comentou o diretor de Proteção Social Especial, Luis Fernando Tondeli Fochi.

Conforme dados do Acolhimento POP, que é uma Unidade de Acolhimento para Adultos e Famílias em Situação de Rua, mantida pela Prefeitura de Três Lagoas, por meio da SMAS, a média de pessoas que viviam em situação de rua era em torno de 23 a 25.

Neste tempo de pandemia, “são de 43 a 45 pessoas, divididos em vários grupos, como o pessoal da Rodoviária, Praça do Alvorada e Lagoa Maior, entre outros locais”, informou Luis Fernando.

 

USUÁRIOS DE DROGAS

“Um outro problema que vem dificultando nosso trabalho de orientações e acolhimento e que tem colaborado para o aumento do número de pessoas em situação de rua é o consumo de drogas entre eles”, observou.

“Na abordagem social, o trabalho de nossas equipes é orientar e prevenir doenças, como Coronavírus, e oferecer atendimento e acolhida no nosso Centro POP. No entanto, não podemos obrigar as pessoas a saírem dessa situação”, explicou Luis Fernando.

Como comentou a secretária de Assistência Social, Vera Helena Arsioli Pinho, apesar de intensificado e contar com o apoio e participação do comando do 2º Batalhão da Polícia Militar (2ºBPM), na pessoa do tenente coronel, Gil Alexandre da Rocha, “esta é uma situação delicada e difícil, hoje agravada pela pandemia da COVID-19. No entanto, não iremos parar nem desanimar, porque um dos nossos trabalhos é resgatar essas pessoas que vivem em situação de rua, para que tenham um atendimento digno e não fiquem sujeitas ao contágio do Coronavírus”, disse.

No Acolhimento POP, as pessoas acolhidas, entre as variadas ações de atenção social, recebem alimentação, higiene, exames médicos e encaminhamentos para áreas de atendimento que se fizerem necessárias.


Compartilhe esta notícia!