Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – TRÊS LAGOAS

A BR 262, que liga Três Lagoas e o Bolsão Sul-mato-grossense à capital, Campo Grande e é um dos principais corredores de interligação com o Estado de São Paulo, tornou-se uma das mais importantes rodovias que cortam Mato Grosso do Sul e, exatamente por isso, chama a atenção. Há muito tempo as autoridades cobram a recuperação da pista. Porém, a obra iniciada em 2018, vem sofrendo com sucessivas interrupções. Há algumas semanas, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), retomou a execução das obras.

A reportagem de O LIBERAL REGIONAL apurou que o trabalho avança entre os quilômetros 62 e 95, já chegando na região do Rio Pombo, No entanto, fontes ligadas ao Dnit não fazem previsões de encerramento da obra, que pode se estender até o fim de 2021.

No início deste ano, graças ao empenho de vários líderes políticos, como o governador Renaldo Azambuja, que atuou diretamente na questão, foi anunciado o empenho de R$ 28 milhões para continuidade das obras. Pouco tempo depois os trabalhos foram recomeçados.

Uma fonte revelou à reportagem que o contrato inicial previa prazo de dois anos para conclusão dos trabalhos. Como começou em agosto, deveria terminar no segundo semestre deste ano. No entanto, devido às sucessivas interrupções, o trabalho pode se estender até o final do ano que vem.

 

TRABALHO

De acordo com a ordem de serviço assinada em agosto de 2018, estavam previstas obras do trevo para Santa Rita do Pardo – do Km 4 ao Km 8,94 (pista dupla) e do Km 8,94 ao 191,10 (pista simples), num total de 191,04 quilômetros. Além da recuperação da camada asfáltica, estava prevista a construção de acostamentos e mais 32 quilômetros de terceiras faixas em determinados pontos estratégicos.


Compartilhe esta notícia!