Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – TRÊS LAGOAS

Na sessão ordinária dessa semana, desenvolvida na terça-feira (5), a Câmara Municipal de Três Lagoas aprovou requerimento do vereador Davis Martinelli (Podemos) de criação de CPI para investigar denúncias de desvio de dinheiro no Hospital Auxiliadora, que é referência para 10 municípios da Costa Leste de Mato Grosso do Sul. A CPI foi aprovada por 15 dos 17 vereadores e já foi instalada, tendo como presidente o vereador Antônio Luiz Teixeira Empke Junior – Tonhão (MDB), relator o vereador Jorge Aparecido Queiroz, o Jorginho da Gás (PSDB) e Apóstolo Ivanildo (Democratas). Figuram como suplentes os vereadores Cascão, Marcus Bazé e Professor Flodoaldo.

Embora tenha sido criada e instalada, a CPI ainda não começou a trabalhar por conta das restrições impostas devido ao coronavírus. Segundo o vereador Davis Martinelli, há decisões da Mesa Diretora tratando do funcionamento das comissões instaladas neste período de pandemia. O início dos trabalhos da comissão vai depender das orientações da Mesa Diretora.

Quanto ao pedido de instalação da CPI, o vereador Martinelli disse que o seu gabinete, desde o início de março, vinha recebendo denúncias de mau uso dos recursos públicos repassados ao hospital, como o diretor (Marco Antônio Calderon de Moura), ter colocado a sua própria esposa para trabalhar, o que, segundo o vereador, contraria regimento da instituição, apresentação de nota de compra de flores de R$ 150 mil sem comprovação, entre outras denúncias, demonstrando suposto desvio de recursos do SUS.

Além destas supostas irregularidades, a dívida do hospital cresceu e estaria hoje em R$ 12 milhões. Inicialmente ele encaminhou as denúncias à Comissão de Saúde da Câmara, e ao plenário. No entanto, as denúncias continuaram chegando e cada vez mais fortes e citando o diretor Marco Calderon. Como a atuação da Comissão é muito limitada, com o aumento e a gravidade das denúncias, ele decidiu apresentar o pedido de CPI, que tem melhores condições de apurar o que realmente está acontecendo no Hospital Auxiliadora. As denúncias envolvem o diretor Marco Calderon.

De acordo com o vereador, embora o Hospital Auxiliadora tenha gestão própria, como há muito investimento público no local, há necessidade de apurar. “Como a Prefeitura repassa dinheiro para a instituição e diante da gravidade e insistência das denúncias, temos o dever de apurar. Esperamos que ao final, a CPI apure que não há irregularidade e tudo esta normal no hospital”, disse o vereador Martinelli.

Segundo Martinelli, para aprovação da CPI seriam necessários seis votos. O requerimento foi aprovado com 15 votos dos 17 possíveis.

“O Hospital Auxiliadora tem mais de 100 anos. É um hospital de renome. É um hospital referência para 14 municípios, que dependem deste atendimento. Ninguém está denegrindo a imagem da instituição Hospital Auxiliadora. Recebemos as denúncias e para esclarecer a sociedade, se essas denúncias são verdadeiras ou não. Se ao final, nada de irregular for encontrado, nós seremos os primeiros a procurar a imprensa para parabenizar a instituição”, disse o vereador.

 

INTERFERÊNCIA

“O que esta Casa não pode permitir é interferência da própria instituição mandando documento para esta casa pedindo para os nobres vereadores não acatarem o pedido de CPI. Para não serem investigados. Tenho informações de que estão entrando com mandado se segurança para barrar a CPI. Se chegou ao ponto de mandar um documento para esta Casa pedindo para não acatar o pedido de CPI, algo está errado. Então tem fundamento na investigação. Não quero criar valores de juízo e punir alguma coisa, mas leva a crer, pela atitude que tomaram, que alguma irregularidade lá tem. Quem não deve não teme”, acrescentou o vereador.

 

REPASSES

Levantamento apresentado pelo vereador mostra que entre janeiro de 2017 até agora, o Hospital Auxiliadora recebeu mais de R$ 153 milhões da Prefeitura de Três Lagoas.  Há informações de repasses de outras esferas de governo, mas o vereador disse que vai limitar-se aos recursos repassados pelo município, que é a sua área atuação.

Para Martinelli, as denúncias são graves e tudo deve ser apurado com rigor até mesmo para zelar pela história do Auxiliadora, que segundo ele, presta importante serviço ao município e à região.

a7 Vereador Davis Martinelli Três Lagoas (15)


Compartilhe esta notícia!