Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS

O secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, prevê uma nova realidade para o setor de saúde em 2020. Segundo ele, o aumento do teto financeiro para diversos municípios vai possibilitar o custeio de serviços para comunidades de praticamente todas as regiões do Estado. “Esperamos que com esses novos aportes, os gestores municipais tenham condições de fazer desembolso de recursos próprios para cobrir outras despesas da área de saúde ou até mesmo para incremento da quantidade e qualidade dos serviços já existentes”, salienta. O secretário citou, também, a construção do Hospital Regional de Três Lagoas.
Além da oferta de mais recursos, o secretário aponta outras medidas determinadas pelo governador Reinaldo Azambuja para sua projeção otimista. “Vamos concluir, equipar e colocar em funcionamento o Hospital Regional de Três Lagoas; vamos ter equipamentos novos e melhorias significativas no Hospital Regional de MS; estamos reformando e ampliando unidades de saúde em diversas regiões do Estado; está em andamento o projeto Planifica SUS, que possibilitará uma interação maior entre a saúde primária e alta complexidade, entre outros programas e ações que, seguramente, trarão um melhor momento para a saúde neste ano de 2020”, afirmou o secretário.

MAIS RECURSOS
O Ministério da Saúde publicou no último dia 27 de dezembro a Portaria Nº 3.782, definindo o repasse de novos recursos para a saúde em Mato Grosso do Sul. No total, catorze cidades serão beneficiadas, totalizando um aumento no teto financeiro da Média e Alta Complexidade (MAC) de R$ 5.141.132,64.
Somando aos valores constantes de outras portarias publicadas no final do ano passado, o incremento para este ano chega a R$ 24.025.295,12 e beneficia 34 municípios. Com esses recursos, serão custeados serviços como consultas, exames, diagnósticos, tratamentos clínicos e cirúrgicos, reabilitações, acompanhamento pré e pós-operatório, UTI, transplantes, tratamento de doenças raras e obesidade, ortopedia, neurologia, entre outros serviços de média e alta complexidade.

 


Compartilhe esta notícia!