Compartilhe esta notícia!

ANTONIO CRISPIM – TRÊS LAGOAS

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) está passando o período de festas em Três Lagoas, sua cidade natal. Em entrevista ao radialista Cláudio César, da Rádio Cidade FM (SRC), a senadora abordou várias questões, com destaque para a possibildade de duplicação da BR 262 no trecho entre Três Lagoas e Ribas do Rio Pardo. Na entrevista, a parlamentar falou sobre seu trabalho e reafirmou que o seu partido, o MDB, não terá candidato a prefeito em Três Lagoas. Vai apoiar o prefeito Angelo Guerreiro.
Na entrevista a Cláudio César, Simone, que foi prefeita de Três Lagoas de 2005 a 2010, quando foi eleita vice-governadora, falou sobre o momento. Ela disse que cobrou a liberação das emendas aos estados e municípios diretamente do ministro da Economia, Paulo Guedes, citando que a economia está em crescimento. A parlamentar destacou o papel do Congresso na recuperação da economia, com aprovação de projetos importantes, como da reforma da Previdência. Para mostrar a recuperação da economia, citou a inauguração do Shopping Três Lagoas, que vai atrair pessoas de várias cidades da região e lamentou a crise na Bolívia, que inviabilizou o negócio o Grupo Acron com a Petrobras para retomada das obras da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN III). No entanto, ela disse que mantém a expectativa de negócio e que no próximo mês vai encontrar-se com o direção da Petrobras para falar do assunto.
Sobre as obras de recuperação e modernização da BR 262, a senadora disse que autorizou a destinação de emenda de R$ 22 milhões para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para investimento no local. Segundo ela, inicialmente apresentou emenda de R$ 28 milhões e que foi reduzida para R$ 22 milhões para construção do contorno rodoviário. No entanto, devido à complexidade do processo, poderia demorar. “O próprio ministério alertou que poderíamos perder o dinheiro. O governador, prefeitos e a Bancada falaram para repassar o dinheiro para o Dnit. Porém, o dinheiro vai para o caixa do Dnit e há o compromisso de que quando o dinheiro entrar no caixa, será destinado à BR 262. Para não ter nada, é melhor usar na BR 262”, afirmou a senadora.
De acordo com Simone Tebet, em dezembro surgiu uma nova possibilidade. Caso seja efetivada a instalação da fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo, pode ser retomada a proposta de concessão da rodovia à iniciativa privada para duplicação. Essa proposta foi ventilada em 2017, mas não avançou porque não teve empresa interessada devido ao baixo fluxo de veículos na rodovia. A situação agora é diferente. Além da possibilidade da nova indústria, as já existentes em Três Lagoas estão ampliando a produção e tem um centro moveleiro em Água Clara.
“A proposta é a concessão por meio de Parceria Público Privada, com a empresa fazendo a duplicação e cobrando pedágio”, disse. “Não vai colocar dinheiro, que está faltando para a educação, para a saúde e a segurança pública em asfalto. Ou seja, a iniciativa privada cuida do asfalto e o poder público cuida daquilo que é mais importante para o cidadão, que são os serviços públicos, como saúde, segurança e educação”, acrescentou a senadora.
Para Simone Tebet, são duas possibilidades para a BR 262, a continuação das obras de recuperação e modernização ou a concessão. “Isso vai ficar mais claro a partir de março. Vamos ver qual o melhor caminho”, garantiu.
Quanto ao contorno ferroviário, Simone disse que o trabalho vai continuar a partir do ano que vem. Ela explicou que há tem obra parada e que é preciso decidir sobre a R$ 262. “No ano que vem, com cronograma definido, vamos lutar pela construção do contorno ferroviário em Três Lagoas. Este ano a luta é pela solução da BR 262”, acrescentou.

GOVERNO BOLSONARO
Para a senadora, o governo Bolsonaro deve aprende que deve governar para todos. “O presidente passou um ano não entendendo que embora tenha sido eleito por um público, ele tem que ser o presidente de todos nós. Acho que ele está aprendendo isso a duras penas. Já melhorou bastante, mas é um governo que peca pelo excesso do que fala. A economia está melhorando, já estamos vendo avanço. Mas é um governo de ideias radicais. O brasileiro não é radical, nem, de esquerda, nem de direita. O povo brasileiro é um povo unido. Um povo da paz. Um povo da concórdia e não da discórdia. Do amor. Não do ódio. O presidente da República deve lembrar que o que ele fala repercute na vida da criança, que está formando a sua mente agora. A crítica que faço e disse isso para o próprio presidente. Tive coragem de dizer para ele. Ele me perguntou e eu falei. O senhor deve lembrar que governa para um país mais centrado. O povo brasileiro é mais de centro. Um país com tanta diversidade ideológica, religiosa. Somos uma mistura que deu certo. Precisamos valorizar esta mistura. Valorizar aquele que pensa diferente. Valorizar aquele que é diferente. Por conta disso espero que neste ano o presidente mude um pouquinho neste sentido. Menos radical nestes posicionamentos”, avaliou a senador Simone Tebet.

GOVERNO REINALDO AZAMBUJA
Quanto ao governo de Reinaldo Azambuja, ela disse que é um um governo difícil. Reconheceu que iniciou o governo em ano de crise. “Eu pessoalmente tenho algumas críticas pontuais que eu não faria. Mas é ele o governador. Só tem que torcer para que dê certo. Independente de não estarmos no mesmo palanque, não deixo de ajudar”, disse a senadora, afirmando que sempre recebe o governador em Brasília. “Neste início de ano, ao invés de fazer crítica, é desejar que a equipe dele faça uma uma gestão, porque quem vai ser beneficiado com isso somos todos nós sul-matogrossenses”, concluiu a senadora.


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Cidades

Veja também

Empresa da construção civil vai contratar castilhenses

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – CASTILHO Uma construtora que recentemente inst…