Home Cidades Em Três Lagoas, Simone Tebet defende concessão da BR 262

Em Três Lagoas, Simone Tebet defende concessão da BR 262

11 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ANTONIO CRISPIM – TRÊS LAGOAS

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) está passando o período de festas em Três Lagoas, sua cidade natal. Em entrevista ao radialista Cláudio César, da Rádio Cidade FM (SRC), a senadora abordou várias questões, com destaque para a possibildade de duplicação da BR 262 no trecho entre Três Lagoas e Ribas do Rio Pardo. Na entrevista, a parlamentar falou sobre seu trabalho e reafirmou que o seu partido, o MDB, não terá candidato a prefeito em Três Lagoas. Vai apoiar o prefeito Angelo Guerreiro.
Na entrevista a Cláudio César, Simone, que foi prefeita de Três Lagoas de 2005 a 2010, quando foi eleita vice-governadora, falou sobre o momento. Ela disse que cobrou a liberação das emendas aos estados e municípios diretamente do ministro da Economia, Paulo Guedes, citando que a economia está em crescimento. A parlamentar destacou o papel do Congresso na recuperação da economia, com aprovação de projetos importantes, como da reforma da Previdência. Para mostrar a recuperação da economia, citou a inauguração do Shopping Três Lagoas, que vai atrair pessoas de várias cidades da região e lamentou a crise na Bolívia, que inviabilizou o negócio o Grupo Acron com a Petrobras para retomada das obras da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN III). No entanto, ela disse que mantém a expectativa de negócio e que no próximo mês vai encontrar-se com o direção da Petrobras para falar do assunto.
Sobre as obras de recuperação e modernização da BR 262, a senadora disse que autorizou a destinação de emenda de R$ 22 milhões para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para investimento no local. Segundo ela, inicialmente apresentou emenda de R$ 28 milhões e que foi reduzida para R$ 22 milhões para construção do contorno rodoviário. No entanto, devido à complexidade do processo, poderia demorar. “O próprio ministério alertou que poderíamos perder o dinheiro. O governador, prefeitos e a Bancada falaram para repassar o dinheiro para o Dnit. Porém, o dinheiro vai para o caixa do Dnit e há o compromisso de que quando o dinheiro entrar no caixa, será destinado à BR 262. Para não ter nada, é melhor usar na BR 262”, afirmou a senadora.
De acordo com Simone Tebet, em dezembro surgiu uma nova possibilidade. Caso seja efetivada a instalação da fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo, pode ser retomada a proposta de concessão da rodovia à iniciativa privada para duplicação. Essa proposta foi ventilada em 2017, mas não avançou porque não teve empresa interessada devido ao baixo fluxo de veículos na rodovia. A situação agora é diferente. Além da possibilidade da nova indústria, as já existentes em Três Lagoas estão ampliando a produção e tem um centro moveleiro em Água Clara.
“A proposta é a concessão por meio de Parceria Público Privada, com a empresa fazendo a duplicação e cobrando pedágio”, disse. “Não vai colocar dinheiro, que está faltando para a educação, para a saúde e a segurança pública em asfalto. Ou seja, a iniciativa privada cuida do asfalto e o poder público cuida daquilo que é mais importante para o cidadão, que são os serviços públicos, como saúde, segurança e educação”, acrescentou a senadora.
Para Simone Tebet, são duas possibilidades para a BR 262, a continuação das obras de recuperação e modernização ou a concessão. “Isso vai ficar mais claro a partir de março. Vamos ver qual o melhor caminho”, garantiu.
Quanto ao contorno ferroviário, Simone disse que o trabalho vai continuar a partir do ano que vem. Ela explicou que há tem obra parada e que é preciso decidir sobre a R$ 262. “No ano que vem, com cronograma definido, vamos lutar pela construção do contorno ferroviário em Três Lagoas. Este ano a luta é pela solução da BR 262”, acrescentou.

GOVERNO BOLSONARO
Para a senadora, o governo Bolsonaro deve aprende que deve governar para todos. “O presidente passou um ano não entendendo que embora tenha sido eleito por um público, ele tem que ser o presidente de todos nós. Acho que ele está aprendendo isso a duras penas. Já melhorou bastante, mas é um governo que peca pelo excesso do que fala. A economia está melhorando, já estamos vendo avanço. Mas é um governo de ideias radicais. O brasileiro não é radical, nem, de esquerda, nem de direita. O povo brasileiro é um povo unido. Um povo da paz. Um povo da concórdia e não da discórdia. Do amor. Não do ódio. O presidente da República deve lembrar que o que ele fala repercute na vida da criança, que está formando a sua mente agora. A crítica que faço e disse isso para o próprio presidente. Tive coragem de dizer para ele. Ele me perguntou e eu falei. O senhor deve lembrar que governa para um país mais centrado. O povo brasileiro é mais de centro. Um país com tanta diversidade ideológica, religiosa. Somos uma mistura que deu certo. Precisamos valorizar esta mistura. Valorizar aquele que pensa diferente. Valorizar aquele que é diferente. Por conta disso espero que neste ano o presidente mude um pouquinho neste sentido. Menos radical nestes posicionamentos”, avaliou a senador Simone Tebet.

GOVERNO REINALDO AZAMBUJA
Quanto ao governo de Reinaldo Azambuja, ela disse que é um um governo difícil. Reconheceu que iniciou o governo em ano de crise. “Eu pessoalmente tenho algumas críticas pontuais que eu não faria. Mas é ele o governador. Só tem que torcer para que dê certo. Independente de não estarmos no mesmo palanque, não deixo de ajudar”, disse a senadora, afirmando que sempre recebe o governador em Brasília. “Neste início de ano, ao invés de fazer crítica, é desejar que a equipe dele faça uma uma gestão, porque quem vai ser beneficiado com isso somos todos nós sul-matogrossenses”, concluiu a senadora.


Compartilhe esta notícia!