Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

O objetivo dela era não enfrentar problemas com documentação na hora de renovar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Para isso, a empregada doméstica Fernanda Gomes dos Santos, de 28 anos, fez da quinta-feira um dia diferente. Na data em que se encerrava o prazo para cadastramento biométrico, ela perdeu o dia de trabalho e, às 5h30, chegou ao cartório eleitoral de Araçatuba.
A moça passou o dia “plantada” na extensa fila, que, mais uma vez, dobrava o quarteirão, à espera do atendimento. A angústia só foi acabar pouco mais de dez horas após ter chegado. Por volta das 15h45, ela deixava a repartição com a missão cumprida. “Vim só por isso mesmo (a habilitação). Agora, amanhã, volta tudo ao normal”, disse a jovem, que, logo ao sair, deparou-se com um serviço de plastificação improvisado em frente ao cartório.
Sim, os sucessivos dias de loga fila de eleitores levou muita gente a buscar um dinheiro extra. A atendente de uma papelaria do bairro Higienópolis que trabalhou na porta do cartório junto a um veículo nesta semana conta que, com a intensa movimentação de eleitores a fim de não perder a biometria, faturou R$ 800 por dia, em média, só com a plastificação do título. Como ela, vários vendedores ambulantes viram na correria dos eleitores atrasados uma oportunidade de lucrar. Não faltavam vendedores de água, suco de laranja, água de coco, cachorro quente e pipoca.
Questionada sobre o porquê deixou para a última hora o cadastramento da biometria, a agente de serviços gerais Lucimara de Jesus Santos, 28, foi categórica: “Preguiça! Ficamos sempre naquela do ‘amanhã, eu faço'”. Acompanhada do marido, o operador de máquinas Edilton Nunes Carvalho, 37, que já tinha feito a sua biometria, ela foi ao cartório às 9h e tirou uma senha. Quando retornou, quase às 16h, ainda havia gente, e muita, à sua frente, para ser atendida. O que mais lhe preocupava? O risco de bloqueio de documentos.
Ora, quem não fez a biometria ficou, automaticamente, com o título de eleitor cancelado. Assim, não poderá votar na eleição municipal do próximo ano, quando serão eleitos prefeitos e vereadores. Mas o prejuízos vão além. Sem o título, a pessoa fica proibida de obter empréstimos bancários, fazer inscrições em concursos públicos, conseguir a emissão de passaporte e de CPF, além de outras restrições.
CIDADES
Nessa quinta-feira, encerrava-se um prazo iniciado em fevereiro para cadastro da biometria em 26 cidades da região: Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Avanhandava, Barbosa, Bento de Abreu, Birigui, Braúna, Brejo Alegre, Castilho, Clementina, Coroados, Glicério, Guaraçaí, Lavínia, Lins, Luiziânia, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Penápolis, Pereira Barreto, Santo Antônio do Aracanguá, Santópolis do Aguapeí, Sud Mennucci, Suzanápolis e Valparaíso. Até o fim desta edição, não havia sido divulgada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o número de pessoas aptas a votar que ficaram sem o título por não terem feito o cadastro biométrico.
Conforme reportagem de O LIBERAL REGIONAL, publicada na edição de ontem, até a última quarta-feira, 79% do eleitorado de Araçatuba já estava cadastrado. De 149.869 eleitores, 118.403 já estavam adaptados à exigência. Era um percentual próximo do de cidades vizinhas. Em Birigui, o índice de eleitores biométricos estava em 81,63%, enquanto em Andradina, 78,03%. Em municípios com baixo número de eleitores, o índice estava perto dos 90%.
Nos outros 19 municípios da região, o cadastramento já havia sido encerrado em outros prazos estabelecidos pela Justiça Eleitoral. São eles: Auriflama, Bilac, Rubiácea, Nova Castilho, Nova Independência, Nova Luzitânia, São João de Iracema, Gabriel Monteiro, Gastão Vidigal, General Salgado, Guararapes, Guzolândia, Piacatu, Ilha Solteira, Itapura, Buritama, Lourdes, Promissão e Turiúba.
NOVA OPORTUNIDADE
Em nota ao LIBERAL, o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo) informou que, a partir de 2 de janeiro, os eleitores que não compareceram e tiveram o título de eleitor cancelado poderão agendar atendimento no cartório eleitoral de seu domicílio para regularizar a situação eleitoral. Em todo o Estado, a biometria será obrigatória, na eleição do próximo ano, em 478 cidades – um universo de 11,5 milhões de eleitores.

a3 biometria2.jpg

CENA COMUM – Ontem, mais uma vez, fila de eleitores atrasados foi extensa no cartório

FOTOS – Arnon Gomes


Compartilhe esta notícia!