DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Um representante de uma paróquia do interior do estado de São Paulo procurou a Delegacia da Receita Federal em Presidente Prudente informando ter sofrido uma tentativa de golpe. Um padre recebeu um contato de uma pessoa que vinha de Santa Catarina e se fazia passar por um delegado de Alfândega da Receita Federal.
O golpe consistia em uma oferta de doação para a paróquia. O falso agente dizia ter efetuado grande apreensão de mercadorias, que seriam destinadas à paróquia se a Igreja arcasse com os custos de alimentação dos motoristas dos caminhões e o combustível da viagem. O valor sairia entre R$ 5 e 6 mil.
Durante o contato, o golpista foi enviando fotos das mercadorias que oferecia, via Whatsapp. Entre elas estavam imagens de geladeiras, aparelhos de ar-condicionado, instrumentos musicais, brinquedos e perfumes. Algumas imagem estavam com o logotipo da Instituição.
A Receita Federal alerta que não realiza contato ou qualquer tipo de doação fora de processos administrativos e não autoriza qualquer outra empresa ou pessoa a atuar em seu nome.
As mercadorias apreendidas, objeto dos crimes de contrabando ou descaminho, podem ser doadas pelo Fisco quando se tratar de requerimento em processo administrativo efetuado por outros órgãos públicos ou organizações da sociedade civil. Pessoas físicas e as demais pessoas jurídicas não são passíveis de receber doações dessa natureza. Mais informações sobre doação de mercadorias apreendidas estão no site da Receita Federal.

USO DA RECEITA
Nessa semana, um mecânico perdeu R$ 84 mil depois de cair em um golpe. O crime começou na borracharia da vítima, em Lins, e terminou no início da tarde em Araçatuba. O homem pensou que iria comprar um lote de pneus da Receita Federal. Há alguns dias o mecânico recebeu a visita de um indivíduo desconhecido, que se apresentou como fiscal da Receita Federal em Lins. O estelionatário disse que teria um lote de pneus para a venda, por isso gostaria de vender por um preço abaixo do que é praticado no mercado. O dono da borracharia fez o negócio, que foi consumado em Araçatuba, onde entregou R$ 84 mil em dinheiro. Os golpistas fugiram e ele ficou sem o dinheiro e sem os pneus.

Mostrar mais
Carregar mais em Andradina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Secretaria desenvolve produto natural para auxiliar no combate a carrapatos

DA REDAÇÃO – SÃO PAULO Um produto natural com capacidade para combater os carrapatos…