Compartilhe esta notícia!

Um homem de 50 anos, morador de Ivinhema (MS), foi preso na noite de sábado (14), em Bataguassu, com o carro cheio de filhotes de papagaio, que seriam levados para São Paulo. A prisão foi feita nas proximidades do posto Prudentão, na BR-267. Dentro do Fiat Uno, ele estava com quatro caixas que levavam 150 filhotes de papagaio. Cada um seria revendido em São Paulo por R$ 100. O traficante de aves foi multado em R$ 750 mil.
Policiais prenderam o homem e apreenderam o veículo e as aves. A Polícia Militar Ambiental foi acionada e o conduziu à delegacia de Polícia Civil de Bataguassu e responderá por crime ambiental, com pena prevista de seis meses a um ano de detenção.
O homem afirmou que pegou os papagaios nos ninhos em fazendas na região do Distrito de Casa Verde, no município de Nova Andradina e os levaria para venda no estado de São Paulo. As aves foram encaminhadas ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) na Capital.

OPERAÇÃO BOCAIÚVA
Este é o período reprodutivo dos psitacídeos (papagaio, arara, periquitos, maritacas) e, por isso, a Polícia Ambiental e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) realizam operações contra o tráfico de animais silvestre. Na primeira fase, a “Operação Bocaiúva I” envolve 43 policiais e fiscais e foi iniciada no último dia 12.
O intuito principal é evitar a retirada dos filhotes dos ninhos, pois o processo de cuidado e reintrodução das aves à natureza é complicado e e de elevado custo;

Enquanto as equipes se distribuem em fazendas e bloqueios, os outros órgãos de segurança, como, Unidades da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, principalmente da região com maior índice do tráfico, foram alertados para atentarem para o problema neste período.

REGIÕES CRÍTICAS
A região principal do problema de tráfico de papagaio e que é monitorada é basicamente a que constitui os municípios próximos às divisas com os estados de São Paulo e Paraná, como Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina, Três Lagoas e Brasilândia, além de Naviraí, Itaquiraí, Eldorado e Mundo Novo, porém, a operação está sendo realizada em todo o Estado, como em 2018, quando houve redução na retirada de filhotes de papagaios no Estado.
Nesta operação estão sendo monitorados e fechadas as saídas do estado com bloqueios, especialmente, nas saídas para o estado de São Paulo, que é o destino principal registrado dos filhotes de papagaios traficados em Mato Grosso do Sul.
Segundo a Polícia Ambiental, o período de agosto a dezembro é preocupante com relação ao tráfico de animais silvestres, pois é o período reprodutivo dos papagaios que é o animal mais traficado no Estado. A PMA mantém trabalhos preventivos nas propriedades rurais para prevenir a retirada dos animais e aliciamentos de funcionários de fazendas e assentados pelos traficantes, para a retirada dos filhotes.

PROBLEMAS DO TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES
O tráfico de animais silvestres é considerado a terceira atividade criminosa mais rentável, perdendo apenas para o tráfico de drogas e o tráfico de armas. Porém, em Mato Grosso do Sul, o problema se resume quase que especificamente ao papagaio.
Como o que interessa ao comprador na espécie é a capacidade que ela tem de aprender a imitar a voz humana, a retirada só é realizada enquanto filhote. Por ser o período reprodutivo da espécie, os meses de agosto a dezembro são preocupantes com relação ao tráfico de animais silvestres. (Perfil News)

DA REDAÇÃO
TRÊS LAGOAS


Compartilhe esta notícia!
Mostrar mais
Carregar mais em Cidades

Veja também

Salmeirão visita obras no Cidade Jardim

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – BIRIGUI O prefeito Cristiano Salmeirão, o secr…