AraçatubaCidadesTrês Lagoas

Falta vacina antirrábica e municípios não programam campanha

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

Anualmente os municípios desenvolvem campanhas de vacinação antirrábica de cães e gatos no mês de agosto. Porém, este ano, nem todos os municípios conseguiram realizar o trabalho. O motivo: falta de vacina e não há precisão de chegada. Há municípios que reservaram as poucas doses disponíveis para casos emergenciais. Em Araçatuba não houve problema. A campanha foi desenvolvida 12.887 doses.
Em Birigui, a situação foi diferente. Não tem vacina e a campanha foi suspensa, aguardando informação do Ministério da Saúde.
“Penápolis não tem doses suficientes para a realização da campanha. As doses disponibilizadas são utilizadas para vacinação de regiões prioritárias, onde há alta concentração de animais, aparecimento de morcegos e próximas a áreas verdes. A Secretaria Municipal de Saúde aguarda o envio de novas doses para a ampliação da campanha”, informou a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis.
A assessoria de imprensa da Prefeitura de Santo Antônio do Aracanguá informou que “a vacinação do município estava prevista para ser realizada no mês de agosto de 2019, e nos foi comunicado pelo GVS (Grupo de Vigilância Sanitária) Regional de Araçatuba, que não haveria vacina para realização da companha, sem previsão para normalizar o fornecimento da vacina”.
“A Secretaria Municipal de Saúde de Lins esclarece que a compra e aquisição de vacinas antirrábicas (VARC) é realizada pelo Ministério da Saúde, diante do desabastecimento da vacina antirrábica canina informada pelo Instituto Pasteur, está suspensa a campanha até o presente momento. De acordo com o Instituto Pasteur onde são fabricadas as doses das vacinas a entrega da próxima remessa do imunobiológico (VARC) ao Ministério da Saúde está prevista a partir do mês de novembro/2019, desta forma o estoque atual da Secretária de Saúde de Lins está sendo utilizado para campanha na zona rural, onde os animais estão mais propícios a contrair o vírus da raiva. A Secretaria de Saúde de Lins aguarda a disponibilização de doses para iniciar a campanha na zona urbana”, disse a Secretaria da Saúde de Lins, frisando que os donos de animais devem ficar atentos à mudança de comportamento.

ESTADO
“A responsabilidade da aquisição e distribuição das vacinas antirrábica é do Ministério da Saúde. O Estado apenas redistribui para os municípios, à medida que os lotes chegam a SP. Especificamente para o mês de agosto, foram solicitadas 1,5 milhão de doses da vacina para animais. Porém, até o momento, o órgão federal ainda não entregou nenhum quantitativo. Tão logo sejam enviadas novas remessas, haverá redistribuição no território. Até que isso ocorra, o Estado poderá disponibilizar doses do estoque estratégico para os municípios que tiverem casos de raiva em cães e gatos e demandarem vacinação, por meio ações de bloqueio, por exemplo. A definição das medidas compete a cada Prefeitura”, informou a Secretaria de Estado da Saúde, explicando que até o início de agosto de 2019 apenas um caso de raiva em cães e gatos foi registrado em São Paulo, no município de Cesário Lange (canina).

TRÊS LAGOAS
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas informou que prepara a campanha de Vacinação Antirrábica de cães e gatos. O Dia “D” da Vacinação Contra a Raiva, segundo foi divulgado pelo CCZ, está agendado para 28 de setembro (sábado), das 8h às 17h, em 28 locais, previamente escolhidos, para os donos de cães e gatos levarem seus animais de estimação para serem vacinados.
A8 VACINAÇÃO
PROBLEMA – Municípios suspendem campanha antirrábica por falta de vacina
REPRODUÇÃO

Comment here