CidadesTrês Lagoas

Fechamento do Ministério do Trabalho pode comprometer serviços

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS

A extinção do Ministério do Trabalho e Emprego, que foi transformado em secretaria, vinculada ao Ministério da Economia, está resultando em várias mudanças. Diante desta nova realidade, está sendo feita a reestruturação, com servidores passando para outros órgãos e possibilidade de fechamento de unidades de atendimento à população. Em Mato Grosso do Sul está previsto o fechamento em várias cidades, entre as quais Três Lagoas.
Para autoridades locais este será uim sério problema. A terceira maior cidade do Estado e uma das principais geradoras de empregos, liderando as estatísticas em várias áreas, na avaliação das autoridades, não pode ficar sem determinados serviços. Recentemente o prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, reuniu-se com o superintendente Regional do Trabalho/MS, Kleber Pereira de Araújo e Silva, e a chefe de seção de políticas de trabalho, Debora Rocha, em Campo Grande para discutir saídas que possam beneficiar a população.
Assim como em várias agências do Estado, em Três Lagoas os servidores federais estão se aposentando. Como não houve concurso para suprir a falta de servidores, além da política de contenção de despesas, o Governo federal está reduzindo as agências pelo interior do País.
Para não deixar os trabalhadores desamparados, a prefeitura vai assumir os serviços da agência dando continuidade às ações de retirada de carteira de trabalho e assuntos relativos aos processos rescisórios do FGTS, seguro desemprego e outros benefícios. Guerreiro lembrou que pode ser no Centro Integrado de Atendimento ao Trabalhador – CIAT ou na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

ALTERNATIVA
A reportagem de O LIBERAL REGIONAL apurou que há muito tempo trabalhadores de Três Lagoas recorrem a unidades de Andradina e Ilha Solteira para emissão de Carteira de Trabalho. O elevado volume de serviços era incompatível que o número de funcionários da unidade de Três Lagoas. Por isso, trabalhadores recorriam às cidades vizinhas. Dependendo da estrutura de atendimento, isso poderá voltar a ocorrer com mais frequência com o fechamento da unidade de Três Lagoas.

 

 

Comment here