AndradinaAraçatubaBrasilCidadesLinsTrês Lagoas

A folia de todas as manifestações: blocos, escolas de samba e bailes. Em todas elas, muita animação

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Não faltou opção para o folião de Araçatuba e das cidades vizinhas brincar o carnaval em grupo neste ano. Em todas as suas formas, o reinado de momo foi marcado por muita animação em toda a região.
Em Araçatuba, o ponto alto da festa aconteceu no último sábado.
Espaço onde o silêncio reina durante os dias comuns, a sede da Biblioteca Municipal Rubens do Amaral serviu de concentração para a comemoração que iria durar a noite toda. Quem queria se divertir, mas ainda não tinha algo que remetesse à data, como fantasia, máscara ou unicórnio, por exemplo, teve a oportunidade de se preparar no saguão da repartição. Uma oficina de produção de máscaras movimentou o local durante a tarde.
Enquanto isso, do lado de fora, dezenas de pessoas se juntavam para participar do cortejo do Bloco do Gordinho, que já está virando uma tradição nos carnavais da cidade. Pelo quarto ano seguido, o grupo conseguiu, neste ano, cerca de 600 pessoas. Da fachada da biblioteca, o bloco saiu por volta das 18h e percorreu, com muita descontração, ruas do Centro até chegar à praça João Pessoa. Idealizadora do movimento, a atriz Paula Liberati saiu à frente, segurando o estandarte do bloco, seguida pelos foliões. Amigo, pais e filhos pequenos – fantasiados ou não, mascarados ou não – divertiam-se ao som de marchinhas que marcaram época no carnaval.
Sem qualquer gota de chuva, a festa continuou na chamada “praça dos 500 anos”. E com mais marchinhas, só que com a Banda Municipal Bruno Zago. A noite chegava e a alegria predominava, com muita gente brincando em família. A música prosseguiu com a apresentação da cantora araçatubense Talita Rusticheli e banda, trazendo ao público um ritmo que é a cara do carnaval brasileiro: o samba.
Mas o carnaval em Araçatuba não parou por ali. No domingo, quem foi ao Shopping Praça Nova pôde se divertir com uma matinê preparada no térreo, em um ambiente todo tematizado. Houve ainda o “Bailinho PET”, no qual onde os donos puderam levar seus animais de estimação fantasiados. Outra atividade foi uma oficina de máscaras, pintura de rosto e uso dos acessórios do camarim da folia.
Até essa segunda-feira, várias atrações estavam programadas na cidade.

 

Escolas de Araçatuba empolgam público em Três Lagoas

Duas das mais tradicionais escolas de samba de Araçatuba viveram uma experiência marcante no carnaval de 2019. Virada do Sol, a mais antiga da cidade, e a Sonho e Fantasia, a maior campeã, participaram do desfile das escolas de samba de Três Lagoas (MS) a convite da Secretaria de Educação e Cultura daquele município, na noite de dominho. Pelas palavras dos dirigentes das agremiações araçatubenses, o resultado foi positivo.
Rosvel Meneses, da Virada do Sol: “Foi muito bom. Nossos componentes foram muito aplaudidos”. Manoel Rodrigues, da Sonho e Fantasia: “Foi uma recepção tão acalorada que me senti o rei de Três Lagoas”. Ambos levaram para aquele município temas desenvolvidos em carnavais passados. A Virada reapresentou enredo do carnaval de 2007 que contava sua própria história. Já a Sonho e Fantasia reeditou enredo sobre a África, que lhe valeu sua última vitória em Araçatuba, no carnaval de 2015.
A apresentação aconteceu na avenida Rosário Congro, no Centro da cidade. Segundo informações da Prefeitura, mais de sete mil pessoas prestigiaram a exibição. Cada uma das agremiações araçatubense se apresentou com cerca de 140 componentes e duas alegorias, todas preparadas em Araçatuba, assim como as fantasias.
Para chegar até a cidade sul-mato grossense, após quase 150 quilômetros de viagem, os sambistas viajaram em cinco ônibus fretado pela organização do festejo. Diferentemente da maioria das cidades, em Três Lagoas, não houve concurso. A realização do desfile teve o objetivo de manter a tradição. “Foi uma noite maravilhosa, com essas escolas que se esforçaram muito pra estar aqui hoje. Com certeza, esse é um marco para o Carnaval de Três Lagoas, que conta com pessoas que amam o que fazem e dão o melhor para em um dia como esse animar esse povo que vem para se divertir”, afirmou o prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro.
Das escolas de Três Lagoas, a X15 da Vila Piloto encantou o público. Já a Unidos da Vila fez sua estreia nesse Carnaval.

 

Rio: temporal atrasa desfile

A chuva forte que caiu sobre o Rio de Janeiro deixou a cidade em estágio de atenção e afetou o carnaval no Sambódromo. O temporal atrasou o início do desfile de domingo e pôs à prova as escolas. O desfile do Grupo Especial, programado para começar às 21h15, teve início às 22h.
A primeira escola a entrar na avenida foi a Império Serrano, com um enredo sobre a vida que apostou numa música consagrada como samba-enredo: “O que é, o que é”, de Gonzaguinha. A escolha despertou polêmica, mas trouxe para a avenida uma música que estava na ponta da língua do público.
A segunda escola da noite trouxe seres mágicos, monstros e histórias fantásticas para a avenida. Com o enredo de “Viraviradouro”, a agremiação de Niterói abusou das transformações, coreografias e engenhocas para
surpreender o público na avenida. Os recursos são uma assinatura do carnavalesco Paulo Barros, que levou desde bruxas e mortos-vivos até contos de fadas como a Bela e Fera para o sambódromo.
Referências à internet, drones, carros alegóricos cheios de luzes e irreverência marcaram o desfile da Grande Rio, a terceira escola que entrou na Marquês de Sapucaí, já na madrugada de segunda. A agremiação brincou com a falta de educação e provocou o público falando do jeitinho brasileiro.
A quarta apresentação foi da Acadêmicos do Salgueiro, com o enredo “Xangô”.
Campeã do ano passado, a Beija-Flor veio em seguida, contando seus 70 anos de história. Na sequência, veio a Imperatriz Leopoldinense, com enredo sobre a história do dinheiro.
Já na manhã de segunda-feira, a Unidos da Tijuca encerrou o primeiro dia de desfile, com uma apresentação emocionante, saindo como forte concorrente ao título de campeã de 2019. Os componentes cantaram o samba em tom de deferência como se fosse uma oração. O público nas arquibancadas também se deixou levar pela mensagem de união que a escola propôs com o enredo “Cada macaco no seu galho”.
O samba-enredo defendeu o amor ao próximo e a ideia de que se cada um desempenhar a sua função no mundo, a vida da humanidade pode ser melhor.

a1 CARNAVAL 2019 (8).jpg

 

Comment here