CidadesTrês Lagoas

CASTRAMÓVEL INICIA ATENDIMENTO E ORIENTA POPULAÇÃO SOBRE POSSE RESPONSÁVEL

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio da equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou os procedimentos da Unidade Móvel de Atenção à Saúde Animal, trailer devidamente equipado para essa finalidade e popularmente conhecido como “Castramóvel”.

O início do atendimento foi na manhã desta terça-feira (31), nas dependências da Escola Municipal Professora “Marlene Noronha Gonçalves”, no Jardim Maristela, acompanhado pelo prefeito Angelo Guerreiro e pela secretária de Saúde, Angelina Zuque, com toda a equipe dos vários setores da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento e demais diretorias da SMS.

Nesta primeira etapa, o trailer do Castramólvel irá permanecer no mesmo local por três semanas e atenderá os donos de cães e gatos dos bairros Jardim Imperial, Jardim das Violetas e Jardim Eldorado, de segunda-feira a sexta-feira.

Em uma segunda etapa, serão atendidos moradores dos bairros Vila Verde, Jardim Samambaia, Jardim Flamboyant e Jardim Maristela. Em seguida, a equipe estará atendendo os moradores do Residencial Novo Oeste e Orestinho e Jardim Carandá. Oportunamente, estaremos divulgando a sequência de atendimentos da equipe do CCZ e onde o Castramóvel estará estacionado.

“É a primeira vez que a população de Três Lagoas possui um Castramóvel, que irá possibilitar o atendimento à saúde dos animais de estimação, nos bairros, sem a necessidade das pessoas se deslocarem até o CCZ”, observou a secretária de Saúde.
“Com este novo serviço, será possível o controle da população de cães e gatos e, ao mesmo tempo, o controle e prevenção de doenças transmitidas por esses animais, assim como, teremos oportunidade de intensificarmos a campanha da posse responsável de animais de estimação”, ressaltou Angelina Zuque.

Segundo comentou o prefeito Angelo Guerreiro, este é um serviço que a população de Três Lagoas “há anos muito precisava e que se faz necessário, porque nem todos têm condições de se deslocar até o CCZ e levar seu cão ou gato para atendimento”, disse.

“FAZ PARTE DA FAMÍLIA”
Para a maioria dos donos de cães e gatos, o animalzinho de estimação “faz parte da família da gente”, como disse Inez da Silva Reis, dona do gatinho de nome “Thomaz”, com idade presumida de pouco mais de sete meses.

“Encontrei o Thomas abandonado na rua, com fome, fraquinho e logo me apeguei a ele com carinho. É por isso que estou aqui para a castração do meu gatinho, porque sei o quanto ele ficará mais saudável”, disse Inez.

Do mesmo jeito, apreensiva, mas confiante na competência da equipe do CCZ, estava a dona do “Grego”, cão de três anos de idade, sem raça definida, a Kaislene Cristina Roque Alves.

“O Grego faz parte da minha família e não quero que ele saia por aí cruzando com cachorras de rua e aumentando o número de cães abandonados. A gente é responsável por ele e pela saúde das pessoas”, comentou.

Todos os procedimentos são pré-agendados pelas equipes de Agentes de Endemias, que visitam periodicamente as famílias.

PROCEDIMENTOS
O Castramóvel, recentemente adquirido com recursos próprios da Prefeitura de Três Lagoas, está devidamente equipado para os procedimentos de atenção à saúde de cães e gatos, em especial para a castração desses animais.

O trailer possui três compartimentos (salas de atendimento), onde são realizados os devidos procedimentos, sob a responsabilidade do médico veterinário, Hugo Nogueira Faria, coordenador do CCZ, auxiliado por uma equipe de estagiários da Faculdade de Medicina Veterinária das Faculdades AEMS.

Como mostrou o coordenador do CCZ, na primeira sala, “realizamos os procedimentos pré-cirúrgicos que consistem na preparação e avaliação prévia da saúde do animal e aplicação de anestesia. Em seguida, o animal é levado para a segunda sala, onde é realizada a cirurgia de castração. Finalmente, em uma outra repartição do trailer, temos as gaiolas, onde o animal repousa, no pós- cirúrgico.

“Todos os medicamentos são fornecidos gratuitamente pela SMS de Três Lagoas, seguindo as orientações e procedimentos que constam no protocolo, devidamente assinado pelo proprietário do animal e pelo responsável do CCZ”, informou Hugo Faria.
Devido à necessidade de “respeitarmos e seguirmos o tempo necessário para cada um dos procedimentos, em especial, o da recuperação pós-cirurgia do animal, que demora uns 90 minutos, atendemos somente oito animais por dia”, explicou o médico veterinário.

Da Redação

Comment here