Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – LINS

O prefeito cassado de Lins, Edgar de Souza (PSDB), ainda não compreendeu que não está mais no cargo e vem procurando criar embaraços à atual administração do prefeito interino Neto Danzi. Desde que foi obrigado a deixar o cargo no dia 11 de agosto, Edgar de Souza criticou a decisão do judiciário, vem acompanhando obras e fazendo transmissões por redes sociais e até mesmo compartilhando informações da área da saúde. Ele instalou um escritório a 50 metros do paço municipal e várias pessoas que atuavam em cargos comissionados em seu governo e que foram mandadas embora estão neste escritório, cuja finalidade não está tão clara.

“Nós temos a absoluta convicção de que a decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é uma decisão absurda, profundamente injusta”, disse Edgar de Souza ao despedir-se dos funcionários da Prefeitura quando foi obrigado a deixar o cargo por ver todos os seus recursos negados pelas instâncias superiores do Judiciário. Mesmo fora do cargo, ele ainda recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal para voltar à Prefeitura, mas seus pedidos foram negados. No mesmo evento, ele disse que a pena era injusta e desproporcional. Segundo ele, devido à pandemia do novo coronavírus, outros prefeitos cassados foram mantidos no cargo ou retornaram aos seus cargos. “Nós somos os primeiros que sofremos com essa mudança de posição do Judiciário”.

“Vou ali e já volto”, disse Edgar, acreditando que seria reconduzido ao cargo. Ele falou do escritório montado próximo à Prefeitura. “Meu escritório é na porta da Prefeitura”, disse. Segundo ele, o escritório é “para acompanhar cada projeto, cada recurso que deixamos tocando”.

Desde que foi tirado do cargo por decisão da Justiça, Edgar de Souza passou a ser mais ativo na internet. Ele tem visitado obras e falado como se ainda fosse prefeito. Edgar chegou a fazer postagem citando encontro com empresários que compraram área próxima à Marechal Rondon para um empreendimento.  Edgar também fez postagens sobre os boletins do coronavírus e chegou a duvidar dos números divulgados.

O comportamento de Edgar, que vem criando embaraços à atual administração ao encontrar-se com investidores e outras iniciativas, vem gerando apreensão no município. O prefeito interino Neto Danzi foi procurado pela reportagem, mas preferiu não se manifestar sobre o assunto.

Para o vereador Gustavo Jordani, o comportamento de Edgar é lamentável”. “Trata-se de um comportamento que não condiz com a realidade dele hoje”, disse o vereador, citando que Edgar está mais presente hoje nas redes sociais do que quando era prefeito.

Outras pessoas ouvidas pela reportagem e que preferiram permanecer no anonimato foram enfáticas ao dizer que a postura de Edgar é para desgastar o prefeito interino Neto Danzi, que é pré-candidato a prefeito. Entendem que Edgar, ao montar o escritório e adotar esta postura “prefeito fora cargo”, quer criar obstáculos ao prefeito interino e ao mesmo tempo fortalecer seu grupo político, mesmo que isso tenha reflexos negativos para o município, além disso, sua postura desafia o Poder Judiciário.

A7 Escritório Edgar


Compartilhe esta notícia!