Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – GUAIMBÊ

A Promotoria de Justiça de Getulina obteve na última sexta-feira (21/8) a condenação de Leandro Gomes da Silva pela prática de feminicídio duplamente qualificado contra Lucinéia Nogueira. A sessão do Plenário aconteceu no Fórum da Comarca de Getulina, impondo ao réu a pena de 24 anos de prisão em regime inicial fechado. Ele não poderá recorrer em liberdade.

De acordo com a denúncia, no dia 9 de junho de 2019, na cidade de Guaimbê, a vítima voltava de uma cavalgada na companhia do filho e do namorado quando Silva, que era ex-namorado de Lucinéia, se aproximou e começou a conversar com o filho da vítima, na tentativa de disfarçar o intuito criminoso. Quando o grupo virou em uma esquina, o réu rapidamente puxou a vítima e, muito embora o filho de Lucinéia tenha tentado intervir, Silva conseguiu se desvencilhar e desferir um golpe de faca na vítima, fugindo do local em seguida. Lucinéia foi encaminhada ao Pronto Socorro de Guaimbê, mas não resistiu ao ferimento (o golpe de faca foi tão brutal que chegou a fraturar uma de suas costelas) e já chegou no local sem vida.

Os jurados reconheceram a prática do feminicídio praticado na presença física de descendente e todas as qualificadoras (motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima).

O Júri ocorreu no período de pandemia por se tratar de réu preso, sendo que foram adotadas diversas medidas de higiene e restrição de público para garantir a segurança do ato, presidido pelo juiz Heitor Moreira de Oliveira. Pelo MPSP, atuou o promotor de Justiça de Getulina, Rodrigo Nunes Laureano.


Compartilhe esta notícia!