Home Cidades Policial penal é mantido refém em penitenciária da região

Policial penal é mantido refém em penitenciária da região

4 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – GETULINA

Um policial penal foi mantido refém por dois detentos na Penitenciária de Getulina nessa terça-feira (24). As informações são do Sifuspesp (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo).

Conforme informações publicadas no site da organização, os presos teriam conseguido manter o agente sob poder quando outros presos saíam para trabalhar na horta da unidade prisional.

O GIR (Grupo de Intervenção Rápida) foi acionado para fazer o resgate do refém, que não se feriu. De acordo com as informações, o funcionário teria ficado em poder dos criminosos por aproximadamente 30 minutos. Atualmente, a Penitenciária de Getulina tem uma população de 1.871 presos, sendo que a capacidade é de 857.

A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL entrou em contato com a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), mas não obteve retorno até o fechamento dessa edição.

 

REBELIÕES

Há pouco mais de uma semana, algumas unidades prisionais do Estado registraram rebeliões e fugas. No anexo do regime semiaberto da Penitenciária de Mirandópolis cerca de 900 detentos se rebelaram e atearam fogo nas celas. Não houve registro de fugas, mas por conta disso, 200 presos tiveram que ser transferidos para as Penitenciárias de Andradina e Presidente Prudente.

Em Valparaíso, duas fugas foram contabilizadas no CPP (Centro de Progressão Penitenciária). Dois dias depois, policiais militar e agentes do GIR realizaram uma operação de revista nas celas e transferência de outros 200 detentos. A operação foi concluída com sucesso.

SAP

A Secretaria de Administração Penitenciária emitiu nota sobre assunto.

“A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que hoje, 24, pela manhã, durante a soltura dos sentenciados para o banho de sol, na Penitenciária de Getulina, foi registrada uma tentativa de fuga onde dois sentenciados que  fizeram um Agente de Segurança Penitenciária (ASP) refém. Após o início das negociações, os sentenciados concordaram em liberar o servidor, que não sofreu nenhum ferimento. Os dois presos envolvidos no caso foram imediatamente removidos para a Penitenciária I de Avaré e será solicitado internação de ambos no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Destacamos que a unidade opera normalmente dentro dos padrões de segurança e disciplina.”

 


Compartilhe esta notícia!