Home Cidades Araçatuba Prefeitura não libera aulas presenciais em escolas de Araçatuba em 2020

Prefeitura não libera aulas presenciais em escolas de Araçatuba em 2020

8 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Por determinação da prefeitura municipal de Araçatuba, as escolas do município não poderão retornar às aulas presenciais em 2020. Apenas as atividades de reforço escolar e acompanhamento psicossocial e aprendizagem poderão ser realizadas até dezembro.

Decreto publicado no começo de setembro pelo poder executivo já havia antecipado que escolas da rede municipal não retornariam às aulas neste ano, mas deixava aberta a possibilidade de retorno para a rede estadual e rede particular, caso houvesse aprovação do conselho municipal de saúde.

Em comunicado ao diretor regional do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Particular do Estado de São Paulo, Waldman Biolcati, a prefeitura explicou as razões pelas quais não permitiria o retorno, dando como justificativa a recomendação da secretaria de saúde.

A proibição das aulas presenciais em Araçatuba ocorre mesmo após permissão do governo estadual, que através do governador João Dória (PSDB) já havia anunciado que os municípios do estado que estão na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo, como é o caso da região de Araçatuba, estariam autorizados a retornar ao ensino presencial com restrições, com utilização de máscaras e álcool em gel por parte de professores e alunos, além de um limite de 35% de alunos por sala de aula. Com isso, as aulas seguirão sendo realizadas de modo on line, assim como já vem ocorrendo desde o início da pandemia, em março.

Estão liberadas apenas as atividades de reforço escolar, que já ocorrem desde o começo de setembro, além das atividades de acompanhamento psicossocial para alunos. Também estão liberadas as aulas práticas para cursos de ensino superior relacionados à área da saúde.

Segundo o diretor regional do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Particular, Waldman Biolcati, ele foi comunicado da proibição pelo prefeito Dilador Borges Damasceno (PSDB).

“Ele me fez o comunicado, já que sou representante, para que eu pudesse passar a informação para as demais escolas e os demais diretores da cidade”, falou Biolcati em rápido contato por telefone com a reportagem.

Preparados

Vários estabelecimentos de ensino consultados pela reportagem planejavam a volta às aulas e já tinham todos os protocolos estabelecidos para o recebimento dos alunos a partir de segunda-feira, dia 19 de outubro.

Em matéria publicada no último 2 pelo jornal O LIBERAL REGIONAL, vários diretores e responsáveis por estabelecimentos de ensino particular da cidade já se diziam prontos para a volta.

André Cefali, diretor do SEB Thathi de Araçatuba, comentou que a escola já retornou com aulas de reforço e que aguardava decisão para volta das aulas presenciais. O mesmo informou o coordenador de marketing do Unicolégio, Ider Bossolani, que esperava apenas aval das autoridades municipais, o que não ocorreu.

A gerente de marketing do Colégio De Angeles, Ana Moro, estava pessimista quanto à possibilidade de volta. ““Ele diz que o próximo pronunciamento seria 7 de outubro, mas não sei se sai. A gente já está preparado”, disse ela na oportunidade.

Comunicado

O diretor do sindicato de ensino particular, Waldman Biolcati, publicou esta semana um vídeo nas redes sociais informando aos pais de alunos do Colégio Anglo, o qual ele dirige, que as aulas não retornarão neste ano.

“Estou aqui para informá-los que, este ano, por determinação do senhor prefeito, atendendo uma solicitação da secretaria municipal de saúde e do Conselho municipal de saúde, a volta às aulas do módulo presencial não será permitida no ano de 2020.Então, a partir do dia 19, retornaremos às nossas aulas, mas no modo remoto, como tem sido até agora, e essa situação perdurará por todo o ano letivo de 2020”, disse em trecho do vídeo.

Biolcati lembrou também que 60% dos pais de alunos do Colégio Anglo preferiam seguir com seus filhos tendo aulas remotas, ainda com receio da pandemia do novo coronavírus.

“Estou fazendo esse comunicado para que os senhores possam se preparar e ao mesmo tempo dizer que, quando fizemos uma enquete com os senhores pais, 60% manifestaram que não iriam voltar com os alunos para as aulas presenciais, então agora elas não serão efetivadas e nós esperamos que esta pandemia acabe para que no próximo ano a gente volte com as aulas presenciais, com os professores em sala de aula e com os nossos alunos, que nos faz muita falta. Uma escola sem professor e se aluno não é uma escola de verdade”, encerrou o diretor.


Compartilhe esta notícia!