Home Cidades Araçatuba Ação conjunta da Polícia Civil resulta na prisão de envolvidos em furto de gado

Ação conjunta da Polícia Civil resulta na prisão de envolvidos em furto de gado

5 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Operação coordenada pelo delegado Sebastião Biazi, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jales com apoio de policiais das regiões de Araçatuba e Tupã, resultou na prisão de nove pessoas envolvidas no furto de gado. Foram sete integrantes da quadrilha e mais dois receptadores. Segundo o delegado Biazi, a quadrilha furtou mais de 500 cabeças de gado, causando prejuízo superior a R$ 1 milhão aos produtores rurais. Isso porque a polícia recuperou muitos animais.

De acordo com o delegado Sebastião Biazi, trata-se de uma organização criminosa especializada no furto de gado e bem estruturada. O trabalho de investigação vinha sendo feito há pelo menos seis meses, com algumas ações pontuais que resultaram na recuperação de animais. Nessa quarta-feira (14), foi desencadeada a operação para cumprimento de mandados judiciais, resultado na prisão de sete pessoas da quadrilha e dois receptadores. “Foi preso o líder da organização criminosa, planejava e financiava as ações”, disse o delegado.

O delegado disse que a organização criminosa atuava nas regiões de Jales, Araçatuba, Mirandópolis e Tupã. “Estimo que subtraíram aproximadamente 500 cabeças de bovinos, das quais cerca de 200 conseguimos recuperar. Recuperação 30 em Jales, 90 em Quatá (região de Tupã), 25 na região de Mirandópolis e mais 54 cabeças na região de General Salgado. Dos nove indivíduos presos, um é o líder da organização criminosa, que dava apoio logístico, operacional e financeiro. Os demais dois são receptadores, que compravam os animais subtraídos e os demais integrantes faziam o trabalho da ação criminosa em campo, fechando e carregando os animais bovinos”, esclareceu o delegado durante entrevista.

Segundo o delegado, com apoio de equipes policiais de Araçatuba e Tupã, foi possível dar uma resposta rápida à sociedade, já que o produtor rural sofre muito com essas ações criminosas. Na avaliação do delegado, mesmo com animais recuperados, o prejuízo aos produtores rurais pode superar R$ 1 milhão.

O delegado Sebastião Biazi explicou que inicialmente integrantes da quadrilha faziam levantamento da área. Quando definiam o alvo, o líder ia e levava os demais comparsas até a região. Os animais eram fechados e os caminhões carregados. O itinerário e os locais de desembarque já estavam previamente definidos.

Durante as investigações, a quadrilha sofreu quatro “invertidas”, como disse o delegado, recuperando 200 cabeças. Mesmo assim, o grupo mantinha a ação criminosa. Agora o trabalho culminou com nove pessoas presas, inclusive o líder do grupo criminoso.

 


Compartilhe esta notícia!