Home Cidades Araçatuba Maior margem para empréstimo de aposentados e pensionistas provoca corrida à financiadora em Araçatuba

Maior margem para empréstimo de aposentados e pensionistas provoca corrida à financiadora em Araçatuba

10 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

O aumento de 5% na margem do empréstimo consignado, liberado para aposentados e pensionistas em medida editada pelo governo Jair Bolsonaro na última semana, provocou um crescimento expressivo na procura por crédito por este público em Araçatuba. Esta margem maior foi recomendada pelo Conselho Nacional da Previdência Social como forma de auxílio a este público durante a pandemia.

O empréstimo consignado é aquele cujas parcelas são cobradas diretamente da folha de pagamento, o que torna viável a prática de juros mais baixos. Com esse aumento de margem, aposentados e pensionistas do INSS podem solicitar empréstimos comprometendo até 40% do que recebem (antes era 35%), além de outros 5% para usar cartão de crédito na modalidade saque, que já vigorava anteriormente.

A reportagem conversou com o aposentado Moacir Raimundo, morador do bairro Manoel Pires, em Araçatuba. Moacir aproveitou este aumento de margem liberado pelo governo para procurar a Via Certa, uma financiadora de Araçatuba, para realizar o seu empréstimo consignado. Segundo ele, o objetivo foi pagar dívidas e fazer atividades básicas, como compras, por exemplo.

“Eu peguei pra pagar algumas dívidas e saldar uns débitos que tinha, além de pagar coisas simples do dia a dia, como cartão de crédito, fazer mercado, esse tipo de coisa”, explicou.

Ele explica que, por causa da pandemia, teve alguns problemas para controlar as contas e por isso foi importante a obtenção de crédito com juros menores.

“A pandemia atrapalhou, veio meio que na contramão. Aí por essa margem que o governo liberou de 5% eu aproveitei”, concluiu Moacir Raimundo.

Além dele, foram vários clientes desse público recebidos pela financiadora somente nos primeiros dias do mês de outubro. Segundo o gerente da Via Certa Financiadora, Gabriel Andrioti, só nestes primeiros dias, a procura por crédito já atingiu o mesmo número de pessoas que procuraram a financiadora ao longo de todo o mês de setembro.

“A questão de aposentados com redução das taxas de juros para o consignado, também houve uma grande procura em função disso. Vou falar pra você que só neste período a gente já conseguiu igualar todo o mês passado. E o mês passado não foi ruim não, hein, foi bom também”, afirmou o gerente.

Pandemia

Antes deste benefício do governo para aposentador e pensionistas, a franquia já havia registrado um aumento considerável na busca por crédito. Segundo o gerente da financiadora a procura aumentou cerca de 60% entre todos os públicos.

“Graças a Deus tivemos um bom aumento de fluxo de pessoas que nos procuraram, principalmente durante a pandemia que a gente teve as vendas digitais, que não tinha o contato físico. E neste caso não tem um público específico, desde assalariados, autônomos, até empresários, aposentados, todos os públicos aumentaram a procura”, afirmou.

Segundo Andrioti, o fato de as taxas de juros estarem mais baixas e atrativas e as condições estarem melhores para os pagamentos das parcelas, além da própria crise econômica, que diminuiu a renda de muitos trabalhadores e aposentados, fez com que essa procura tivesse esse crescimento tão considerável.

“Como as taxas de juros estão abaixando, está fomentando mais essa procura, a pessoa tinha aquele preconceito de não pegar o crédito pessoal porque a taxa é alta, mas não, hoje as taxas são bem mais reduzidas em relação aos anos anteriores porque aumentou a procura, se aumenta a oferta a gente acompanha na demanda, então as taxas estão cada vez mais baixas”, opinou.

Aprovação

Para aprovação do crédito, a financiadora analisa o “score” do cliente, que é uma espécie de balanço da vida financeira da pessoa, que vai definir se ela terá ou não o seu empréstimo aprovado e de quanto será sua taxa de juros. De acordo com o gerente da Via Certa, são analisadas centenas de variáveis para o desenvolvimento deste “score”.

“Chega a ser em torno de 600 variáveis, como a sua faixa etária, se você já ficou negativado ou não, se você tem histórico de consumo positivo ou negativo. Se você paga teu financiamento em dia, tuas contas em dia, seu score é bom. Então é uma soma de variáveis para te gerar uma pontuação. Se o histórico é positivo isso é compensado reduzindo as taxas de juros”, explicou.

Já para aquelas pessoas com um histórico de dívidas ou que tenham o nome no SPC ou Serasa, a chance de aprovação do crédito diminui e, quando sai, acaba saindo com taxas mais altas.

“Um CPF que não tem um consumo sadio, que toma o crédito e não paga as contas em dia, chega cartinha de cobrança, vai pro Serasa, pro SPC, então o risco de inadimplência dele é alto, então a taxa acaba se elevando um pouco para este perfil de cliente ou até mesmo reprovando uma proposta”, concluiu o gerente.

BAIXOS – Taxas de juros mais baixas e maior margem para aposentados têm sido atrativos para o empréstimo

 


Compartilhe esta notícia!