Home Cidades Araçatuba Região mais que dobra empregos gerados e supera média nacional

Região mais que dobra empregos gerados e supera média nacional

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

As quatro maiores cidades da região mais que dobraram, somente em agosto, a criação de postos de trabalho com carteira assinada na comparação com o mês anterior. A constatação está no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério da Economia, divulgado ontem. O levantamento aponta que, no oitavo mês do ano, juntos, os municípios de Araçatuba, Birigui, Penápolis e Andradina criaram 1.332 empregos formais, resultado da diferença de 3.832 admissões e 2,5 mil demissões ocorridas nas empresas durante o período.

De acordo com o economista Marco Aurélio Barbosa de Souza, especialista em economia local e regional, o crescimento regional foi de 115,5% em relação ao saldo acumulado em julho. Naquele mês, os quatro municípios tinham apresentando saldo positivo de 618 postos de trabalho. Os dados divulgados nessa quarta-feira mostram ainda uma trajetória de crescimento da região observada desde junho. No mês que encerrou o primeiro semestre, 306 empregos formais foram criados. A última vez que os “quatro grandes” fecharam com saldo negativo foi em maio: -1.618 postos. “Nota-se que a partir de junho as cidades entraram em uma trajetória de saldo positivos crescentes, tendo uma recuperação mais rápida que o conjunto da economia brasileira”, analisa Barbosa.

A avaliação do economista se confirma em números. Enquanto a região registrou alta superior a 100% em agosto, no mesmo mês, o aumento em nível nacional foi de 76,63%. Em todo o Brasil, foram criados 249.388 empregos formais em agosto; no mês anterior, foram 141.190 vagas.

Para Barbosa, os números recentes evidenciam uma recuperação na empregabilidade local em um contexto no qual o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta uma das maiores taxas de desemprego da história do país: cerca de 13,1 milhões de pessoas sem trabalho.

Em relação a agosto, o melhor desempenho da região ocorreu em Araçatuba, onde o saldo foi de 720 postos de trabalho gerados. Na sequência, vêm Birigui e Penápolis, com 546 e 71, respectivamente. Das quatro cidades mais populosas, apenas Andradina terminou com saldo negativo: – 5, consequência de 395 contratações e 400 admissões.

BIRIGUI

Em relação aos números por setores produtivos e por cidades, o grande destaque foi Birigui, que apresentou saldo positivo em todos os ramos (agropecuária, comércio, construção, indústria e serviços), sendo que o maior gerador do saldo positivo foi a indústria. “Dessa forma, o resultado sinaliza a recuperação desse importante segmento econômico que forma a estrutura produtiva biriguiense”, observa Barbosa.

Outro destaque no caso de Birigui foi o fato de ela ser a única em que o setor da construção apresentou resultado positivo. Na edição da última terça-feira, reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL mostrou o aumento significativo do financiamento imobiliário na cidade em maio deste ano. Isso, conforme o economista, “pode ter impactado favoravelmente na geração de empregos locais do setor da construção civil”.

Já Araçatuba apresentou também saldo positivo em todos as atividades, com exceção da construção. O grande destaque foram os setores da indústria e do comércio, com saldo positivo de 393 e 234, respectivamente.

Penápolis também teve um bom equilíbrio na empregabilidade entre os setores produtivos, com destaque para o comércio, que apresentou saldo de 41 postos de trabalho.

OTIMISMO

O pesquisador destaca que o resultado positivo é importante porque traz otimismo para a região e dá sinais de consolidação de uma tendência de recuperação do ritmo de geração de emprego apresentando saldo positivo e com maior equilíbrio entre os setores produtivos em um contexto em que as taxas de desemprego nacional aumentaram e alcançaram recordes históricos. Ele destacou também a forte recuperação do emprego do setor industrial, segmento importante pelos efeitos multiplicados de sua cadeia produtiva.


Compartilhe esta notícia!