Home Cidades Araçatuba Gastos para combater a covid-19 superam R$ 8 milhões em Araçatuba

Gastos para combater a covid-19 superam R$ 8 milhões em Araçatuba

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Araçatuba já gastou mais de R$ 8 milhões no enfrentamento à pandemia de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Conforme balanço mensal feito pelo TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) sobre os gastos dos municípios paulistas no combate à crise mundial de saúde pública, em agosto, a Prefeitura elevou em 21% o volume desembolsado em ações preventivas. Segundo o “Painel Covid-19”, ferramenta virtual do órgão fiscalizador para divulgar as despesas, no mês passado, a maior cidade da região desembolsou R$ 8,39 milhões. No mês anterior, o volume aplicado foi de R$ 6,96 milhões, de acordo com o tribunal.

A pesquisa permite concluir que o aumento na injeção de recursos públicos veio acompanhada de uma desaceleração no número de mortes no município. Entre junho e julho, período considerado pelo levantamento anterior, Araçatuba registrou 69 novos óbitos. Já de julho a agosto, intervalo estudado na estatística divulgada nessa sexta-feira, houve 38 mortes.

O número de novos casos também apresentou uma queda expressiva, aponta o painel do TCE. Da última estatística divulgada pelo Tribunal de Contas até 31 de agosto, a cidade somou 1.528 novos casos, ao passo que do sexto para o sétimo mês de 2020, foram 3.074. Isso significa que o número de araçatubenses que ficaram contaminados no período caiu pela metade.

Diante desses números, Araçatuba terminou agosto com 5.302 casos de covid-19 e 127 vidas perdidas para a doença. O levantamento mostra que o maior município da região tem 87,51% dos casos recuperados e 2,4% de letalidade. Revela também que a estrutura implantada na rede pública e nos hospitais tem sido suficiente para atender a demanda. Até o último dia de agosto, dos 19 leitos de UTI existentes, dez estavam ocupados. Já dos 41 leitos de enfermaria disponíveis, 32 estavam com pacientes. Até aquele mês, 16.277 exames haviam sido coletados.

DIVISÃO

As despesas do município no combate à pandemia representam 2,01% da receita arrecadada neste ano até o mês passado, que estava em R$ 416,73 milhões.

De acordo com a corte de contas paulista, mais de R$ 8 milhões investidos para enfrentar o coronavírus equivalem a R$ 1.581,64 por caso confirmado da doença.

A expectativa é de que, nos próximos meses, o dinheiro gasto com a covid continuem a subir. Só de repasses dos demais entes da federação, o município já recebeu R$ 16,45 milhões. Desse total, R$ 1.566.992,00 vieram do Estado, enquanto R$ 14.878.784,82, da União.

 

No Estado, gasto cresceu 29,27%

Conforme o TCE-SP, os municípios paulistas apresentaram um gasto 29,27% maior em agosto, em comparação com os recursos empregados no mês anterior, para o enfrentamento à pandemia da COVID-19. O valor desembolsado pelas prefeituras no período chegou a R$ 2,86 bilhões, ao passo que, em julho, a soma foi de R$ 2,21 bilhões.

O Governo do Estado também teve um acréscimo nos recursos empenhados, empregando R$ 2,84 bilhões, ou seja, 5,18% a mais que em julho, quando o total foi de R$ 2,7 bilhões. Juntos, municípios e Governo Estadual destinaram R$ 5,7 bilhões à COVID-19 em agosto, uma variação 16,09% maior que no mês anterior (R$ 4,91 bilhões).

PAINEL COVID

Com atualizações mensais, a plataforma virtual Painel Covid-19 exibe de forma simples e interativa informações sobre os recursos que estão sendo usados pelas administrações municipais e pelo governo estadual no enfrentamento à pandemia.

O relatório traz informações sobre receitas, despesas e atos administrativos realizados pelo poder público desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Dentre outras funcionalidades, o usuário tem acesso, na forma de gráficos e de dados segmentados por município, ao valor total repassado pelos Governos Federal e Estadual; à quantidade de recursos empenhada por cada administração; e aos quantitativos destinados para estruturação e aquisição de equipamentos e de serviços. Com informações do TCE-SP

 


Compartilhe esta notícia!