Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Em atualização divulgada ontem do Plano São Paulo de flexibilização da economia, a região de Araçatuba teve apenas um dos cinco índices, analisados pelo Comitê de Contingência da Covid-19 do estado, incompatível para o avanço para a fase 4 (verde): o índice de óbitos. Todos os demais estão habilitados para a quarta fase, de acordo com as diretrizes do plano.

Araçatuba e as cidades da região, porém, só poderão avançar de fase no mês que vem. Isto porque o governador João Dória (PSDB) anunciou na tarde desta sexta-feira, junto com sua equipe de governo, que as atualizações do Plano São Paulo passarão a ser mensais a partir de agora. O que significa dizer que, a próxima atualização do plano será apenas no dia 9 de outubro.

De acordo com os números apresentados pelo Comitê de Contingência da covid-19 nesta sexta-feira, a região de Araçatuba ainda possui uma pendência no número de óbitos para ficar habilitada para a fase 4 (verde) do Plano São Paulo. Apesar de ter baixado nesta semana o número de óbitos em 25% (0,75) em relação à semana passada, mais do que a diminuição de 11% da semana anterior, a região ainda possui 5,5 mortes por 100 mil habitantes. Para avançar à fase verde, é necessário ter esse índice em, no máximo, 5 óbitos.

O índice de novas internações, que havia aumentado em 20% na última semana, sofreu uma queda importante nos dados apresentados ontem. Houve uma diminuição de 38% (0,62) no número de internados, estando este dado habilitado para o avanço de fase.

Os novos casos tiveram um aumento pequeno de 1% nesta semana, o que não influiu nos números satisfatórios, de acordo com o estado. Houve diminuição também do número de leitos de UTI a cada 100 mil habitantes, de 17,3 para 16,9. A ocupação das UTIs diminuiu ainda mais, com 36,7% nesta semana, exatos quatro pontos percentuais abaixo do índice da semana passada.

Atualização mensal

Nesta sexta-feira, as regiões de Franca e Ribeirão Preto, que eram as únicas na fase 2 (laranja) do Plano São Paulo, avançaram para a fase 3 (amarela). Portanto, agora, 100% do estado está na fase amarela, que permite a abertura de bares, restaurantes, academias, salões de beleza; além de atividades culturais após 28 dias.

O índice de ocupação das UTIs nas duas regiões, que era preocupante até algumas semanas, está na casa dos 60%, considerado bom na atual fase da pandemia de covid-19.

Por conta deste avanço e da estabilidade da pandemia, o governador João Dória (PSDB) anunciou que as reclassificações do Plano São Paulo ocorrerão nas regiões paulistas a cada mês a partir de agora, e não a cada quinzena, como vinha ocorrendo.

“No estado de São Paulo como um todo, a pandemia regride de maneira sólida e, agora, todas as regiões estão na fase amarela”, afirmou o Governador. “Devido à regressão vigorosa dos indicadores no estado, entramos em uma nova fase de monitoramento da pandemia. Por questão de segurança, as requalificações do Plano São Paulo passam a ser mensais, ao invés de quinzenais”, declarou Doria.

Com a estabilidade do avanço da pandemia em todas as regiões do estado, o Centro de Contingência do Coronavírus recomendou que o monitoramento seja estendido para um período mínimo de 28 dias. O acompanhamento dos indicadores nas próximas quatro semanas vai garantir mais segurança na possível migração de regiões para a fase verde a partir do início de outubro.

Fim da fase laranja

Apesar da alteração no período de medição do Plano São Paulo, o Governo do Estado poderá decretar regressão para a fase vermelha de qualquer região, a qualquer momento, em caso de piora significativa das taxas de contaminação por coronavírus ou redução acentuada da capacidade hospitalar.

“Não haverá retorno para a fase laranja, o que aumenta a responsabilidade de Prefeitos, Secretários municipais de saúde e da própria população. Afinal, a população precisa se resguardar e se proteger, obrigatoriamente usar máscara ao sair de casa, seguir o distanciamento social de 1,5 metro, lavar as mãos e usar álcool em gel”, destacou o Governador.

Pandemia em queda no estado

Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus, São Paulo registra declínio de mortes por COVID-19 há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.

Na atualização desta semana, a variação de novos casos na média estadual foi 31% menor em relação à medição anterior. As novas internações caíram 10% em comparação à semana passada, e o número de óbitos foi 20% menor. A taxa estadual de internações por 100 mil habitantes é de 43,7, além de média de seis mortes por coronavírus a cada cem mil habitantes.

A capacidade de atendimento hospitalar a pacientes graves com covid-19 também é considerada confortável, a média atual de ocupação de leitos de UTI é de 52,5%. Atualmente, o estado de São Paulo dispõe de 20,5 vagas hospitalares para casos graves da doença a cada 100 mil habitantes.


Compartilhe esta notícia!