Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Partidos políticos de Araçatuba entram, neste domingo, numa semana decisiva em relação à definição dos nomes que participarão da disputa pela Prefeitura no pleito de 2020, marcado para novembro em virtude da pandemia de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

A partir deste fim de semana, ocorrerão as convenções dos partidos que, há pelo menos três meses, vem apresentando pré-candidatos à sucessão do prefeito Dilador Borges (PSDB).

O período pré-campanha vem indicando aquele que pode ser o cenário mais despolarizado da história das eleições municipais, com a possibilidade de se ter até dez candidatos.

Porém, articulações ocorridas ao longo desta semana indicam que esta alternativa não está totalmente consolidada. Um dos nomes interessados em concorrer ao Executivo até o momento, o ex-vereador Teucle Manarelli (PRTB), considera sua situação indefinida. Ele ainda não conseguiu encontrar um vice com força para sua chapa, fator por ele considerado importante para efetivar sua participação na disputa. Por outro lado, a reportagem apurou que seu partido, o mesmo do vice-presidente Hamilton Mourão, é objeto de disputa com o objetivo de formar coligação por parte de PSDB e MDB.

Os tucanos realizam amanhã a convenção que vai oficializar o nome de Dilador como candidato à reeleição. Nesta semana, o ninho tucano conseguiu, por meio de tratativas feitas em São Paulo, trazer para seu lado o PSL do vereador Denilson Pichitelli. O partido do parlamentar estava, até então, propenso a compor a coligação do MDB, que deverá ter como candidato ao Executivo Cido Saraiva, vereador recordista de votos nas duas últimas eleições. Com a mudança, vista por Pichitelli como “rasteira”, o PSL terá que ficar no palanque tucano.

O MDB será o último a fazer sua convenção, na terça-feira, dia 15. “Será oficializada a minha candidatura mesmo. Isso é bem provável”, afirmou Saraiva.

Adversário histórico do PSDB, o PT também fará sua convenção no domingo – data estrategicamente escolhida. Treze, data de amanhã, é o número do partido. Presente nas disputas municipais ininterruptamente desde 1988, o Partido dos Trabalhadores oficializará a candidatura de Sebastião Júnior, que foi assessor de Ricardo Berzoini, ex-deputado federal e ministro dos governos Lula e Dilma Rousseff. A convenção será feita no formato virtual, sendo presencial apenas para os candidatos a prefeito e a vereador.

Com um cenário que caminha para a despolarização, a candidatura petista poderá ter como um dos adversários o ex-prefeito Cido Sério, que governou a cidade por oito anos (2009 a 2016) quando era filiado ao PT. Em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL nesta semana, Cido, hoje no PSD, disse ter interesse em concorrer, mas ainda não há uma definição.

NESTE SÁBADO

Para este sábado, está marcada a convenção do PTB, que oficializará a candidatura do ex-prefeito Domingos Andorfato. Com 80 anos, ele será o mais velho postulante dentre os interessados na corrida municipal. Pela terceira vez em sua vida pública, será candidato – em 1992, venceu e, quatro anos antes, fora derrotado pela ex-prefeita Germínia Venturolli.

O evento está marcado para as 9h e, além de Andorfato, oficializará a candidatura de Wilson Fred de Souza, presidente local do PTB, como vice. Com uma nova roupagem, o PTB tentará conseguir o que não conseguiu em 2016. Na ocasião, o empresário Luís Fernando de Arruda Ramos, então presidente da legenda, ficou em segundo lugar na disputa. Luís Fernando morreu no ano seguinte em acidente de avião.

Hoje também, o Solidariedade realizará sua convenção. A expectativa é pelo lançamento da candidatura a prefeito do empresário Alberto Pinto da Silva, o Alberto do Dogão. Ele vem trabalhando há meses para viabilizar seu nome na disputa, mas admite a possibilidade de ocorrerem “mudanças de última hora”. Ou seja, não está a descartada a chance de a legenda, que se dissociou do bloco apoiador de Dilador, apoiar outra candidatura.

PARTIDO VERDE

Tranquilidade, até o momento, há apenas no Partido Verde. O PV oficializou a candidatura a prefeito do vereador Flávio Salatino no sábado passado. Os “verdes” entrarão com a chamada “chapa pura”, tendo Salatino um vice do próprio partido, o empresário Edes do Baratão. A candidatura dele conta com apoio dos setores mais conservadores da política local, muitos dos quais apoiadores do presidente Jair Bolsonaro na eleição passada.


Compartilhe esta notícia!