Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

O ex-prefeito Cido Sério, que governou Araçatuba por oito anos, de janeiro de 2009 a dezembro de 2016, concedeu entrevista exclusiva ao jornal O LIBERAL REGIONAL e fez duras críticas à administração do prefeito Dilador Borges Damasceno, que considera um “mentiroso e incompetente”. E foi além: “Facilitador, como reconheceu a Polícia Federal ao apurar irregularidades em contratos na operação #tudonosso”, disse o ex-prefeito. Cido, que chegou a ser denunciado pelo prefeito e pelo chefe de gabinete, Deocleciano Borella Júnior por suposto recebimento de propina de empresário, falou também das dívidas contraídas pelo atual prefeito araçatubense.

No início de 2017 o prefeito Dilador Borges Damasceno divulgou um vídeo no qual mostra vários processos de licitação que estavam parados e criticou o ex-prefeito. Cido reagiu e disse que as licitações foram suspensas a pedido da comissão de transição indicada por Dilador Borges Damasceno. “É um mentiroso”, disse Sério.

Um dos fatos mais marcantes do início da administração envolveu diretamente o prefeito Dilador Borges Damasceno e o chefe de gabinete Deocleciano Borella Júnior. Ao cobrarem um empresário que fez a restauração da Praça Rui Barbosa, o mesmo disse que enfrentava problemas e teve de fechar a empresa devido ao pedido de propina de um “prefeito desonesto” na execução de uma grande obra.

Devido à resposta do empresário, Dilador Borges Damasceno e Deocleciano Borella Júnior encaminharam ofício ao Ministério Público citando que o empresário havia denunciado o prefeito Cido Sério de pedido de propina. O fato teve repercussão na imprensa. Cido Sério fez interpelações judiciais. Em depoimento à polícia, o empresário Nilton Marto Vieira da Cruz negou que o prefeito que havia citado na correspondência era Cido Sério, como disseram Dilador e Borella, mas sim o prefeito de Catanduva e a obra era de R$ 3,2 milhões. O prefeito de Catanduva teria pedido R$ 10% do valor.

Segundo o ex-prefeito, em uma inauguração na zona norte,  Dilador Borges Damasceno disse que que ele, Cido Sério, tão logo elegeu-se prefeito mudou para um apartamento. “Na realidade mudei para o apartamento quando ainda era deputado estadual e minha família foi assaltada. Mudei por questões de segurança”, disse Cido Sério, afirmando que o atual prefeito “mentiu”.

OBRAS

De acordo com o ex-prefeito, logo após a posse, Dilador disse que não encontrou dinheiro em caixa. “Os números não mentem. Deixamos mais de R$ 3 milhões”, reafirmou o ex-prefeito citando também o endividamento do município. Cido disse que fez várias obras de mobilidade, como as Avenidas Abrão Buchala, Gaspar Lemos, segunda pista das avenidas Valdemar Alves e Odorindo Perenha. “Esta última transformou o Umuarama esquecido por décadas e hoje é uma das regiões que mais atraem investimentos privados. Mudamos a zona leste e a vida dos moradores”, acrescentou.

Outra obra citada por Cido Sério foi a revitalização da Avenida Joaquim Pompeu de Toledo, praticamente eliminando as enchentes que eram frequentes. “Construímos unidades de saúde, escolas e o Atente Fácil”, disse o ex-prefeito.

24 MIL CASAS

Cido Sério lembrou que em sua gestão foram construídas mais de 24 mil unidades habitacionais. “Isso equivale a várias pequenas cidades da nossa região. Além de fortalecermos a economia local, atraindo grandes empresas como o Muffato, Tonin, Shopping Praça Nova, nova unidade do Supermercado Rondon, Havan, e várias empresas do setor varejista”, disse Cido, citando outras empresas, como a Rigesa, Estaleiro Rio Tietê. De acordo com o ex-prefeito, este total refere-se às casas construídas pelo Programa Minha Casa Minha Vida em suas diferentes faixas. No período de oito anos, a cidade ganhou vários edifícios residenciais e condomínios de alto padrão e loteamentos. “Tão importante quanto construir casas para realizar o sonho de milhares de pessoas, foi gerar milhares de empregos”, acrescentou.

DÍVIDAS

O ex-prefeito disse que embora a atual administração sempre disse que ele deixou dívidas, os empréstimos contraídos ´para tantas obras não chegam a R$ 15 milhões em oito anos. “O governo do prefeito Dilador Borges Damasceno, em menos de quatro anos, endividou o município em R$ 40 milhões, deixando uma triste herança para os próximos governantes, que poderão ter a capacidade de investimento limitada para pagar os empréstimos feitos por Dilador Borges Damasceno, que segundo Cido Sério, não conseguiu ainda inaugurar nenhuma grande obra iniciada e concluída em seu governo. “Incompetente”, enfatizou.

ESCÂNDALO

O ex-p-refeito disse que embora tenham tentado macular a sua honra com a denúncia de pedido de propina, durante oito anos de mandato “a Polícia Federal jamais esteve na Prefeitura para prender qualquer assessor”. “Neste governo, em menos de três anos, a polícia prendeu vários assessores. Uma vergonha para a cidade”, concluiu Cido Sério.


Compartilhe esta notícia!