Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – BIRIGUI

A balança comercial de Birigui apresentou superávit de US$ 4,78 milhões entre janeiro e julho de 2020. As exportações totalizaram US$ 16,01 milhões e as importações US$ 10,23 milhões.

As Informações foram divulgadas nesta quinta-feira, dia 27 de agosto, pelo Observatório de Inteligência Econômica da SDE (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico).

Segundo a pasta da Prefeitura de Birigui, os dados são do Ministério da Economia. O Observatório é responsável por realizar estudos e pesquisas econômicas e acompanhar a evolução dos indicadores econômicos da cidade.

Apesar da crise econômica externa impactar na retração da demanda nos mercados internacionais, as empresas de Birigui continuam buscando diversificar suas exportações e adentrar em novos mercados.

Nesse contexto, de crise nos mercados externos, houve redução das exportações em 27,7% em comparação ao mesmo período do ano passado. Já as importações aumentaram 24,8% no comparativo.

Um aspecto importante observado nos dados foi o equilíbrio na pauta exportadora local com exportações de bens de capital, bens de consumo não duráveis e commodities agrícolas.

Entre os principais produtos exportados destacaram-se os transformadores elétricos (com 31% do total exportado); calçados de borracha ou plástico (24% do total) e tortas de óleo de soja (20% do total).

Com relação as importações, destacaram-se os laminados de aço e artefatos para vestuário, representando 49% e 16%, respectivamente, do total importado pelo município.

As importações tem relação com a característica produtiva de Birigui, com forte presença industrial. São, portanto, matérias-primas para a produção de outros produtos.

Destacou-se positivamente também, em relação aos dados do comércio exterior, a quantidade de países que receberam produtos das empresas biriguienses entre janeiro e julho: 49 países.

 

JULHO

No mês de julho se destacaram como principais compradores dos produtos biriguienses o Reino Unido, com US$ 539,136 mil dólares, a Bolívia, com US$ 483,132 mil e, em terceiro lugar, o Chile, com US$ 259,261 mil dólares.

O relatório do Observatório de Inteligência Econômica visa suprir as demandas de informações e conhecimento dos agentes econômicos do município e subsidiar o desenvolvimento de políticas públicas voltadas a geração de emprego, renda e ao desenvolvimento local.

info exportados


Compartilhe esta notícia!