Compartilhe esta notícia!

VIDAS DE POLICIAIS TAMBÉM IMPORTAM

Evandro Everson dos Santos

Defenderei, com o sacrifício da própria vida. Referida frase é um fragmento do Juramento da Polícia Militar, quando da formatura de seus agentes de segurança pública. Tanto o jovem Soldado como o jovem Oficial, carregados de emoção, juram solenemente em dedicar inteiramente ao serviço da Pátria, cuja honra, integridade e instituições defenderão com o sacrifício da própria vida. Prova de lealdade e comprometimento com o Estado ao entregar a própria vida em defesa de seus cidadãos não há. Mesmo havendo contradição com o ordenamento pátrio ao dispor da vida ou estar em risco iminente de morte em defesa de alguém, o juramento, impassivelmente é cumprido.
Vivemos tempos estranhos, onde várias incertezas nos assombram. As consequências de uma recessão econômica, desemprego, aumento da desigualdade social e a extrema pobreza encontrará um ambiente fértil para a explosão da violência social. E, um Estado desarranjado, descontrolado com uma sociedade fragilizada que não acredita em sua força policial, inevitavelmente perderá a sua governabilidade; logo o caos social estará instalado. Nos últimos meses assistimos a veiculação seletiva e descontextualizada de imagens de supostos abusos cometidos por Policiais Militares. Tratando-se de casos isolados, as imagens tem um único objetivo, o de chocar a sociedade. Em contrapartida não há imparcialidade por parte da grande mídia, quanto á veiculação do árduo e extenuante trabalho de Segurança Pública.
No último dia 08, véspera do Dia dos Pais, três Policiais Militares morreram em cumprimento ao dever, deixando saudades á família e aos amigos. Perdas lastimáveis e irreparáveis que entristeceu a sociedade. A título de ilustração, nos EUA e no Reino Unido, matar um policial é um crime grave, há vários agravantes da pena em comparação com outros tipos de homicídios. Não se importando com notícias enviesadas sobre as forças policiais, a violência sempre foi tema atraente a mídia nacional. Tanto é que não há interesse em exigir ou divulgar estatística oficial do número de policiais militares mortos em serviço, como também por Covid-19, estima-se que há um número elevado de mortos. Vida de Policiais também importam.
A PM Paulista com seus 83 mil homens e mulheres, constantemente fazem reflexão sobre a sua atuação, sempre com o objetivo do aperfeiçoamento e a busca incessante da aproximação com a população, o que a faz gozar de elevado grau de empatia e credibilidade. Além disso, é reconhecido também o comprometimento da Instituição em formar policiais legalistas, com embasamento jurídico e humanístico, sem perder a sua sólida base construída na hierarquia e disciplina. Diante disso, fica a indagação: A quem interessa o caos social? Não importa. A PM Paulista, mesmo submetida diariamente a ataques frontais contra os seus valores, mantém hígido o Estado de Direito Democrático. Enfim, sempre ressaltando que sem Polícia não há segurança e sem segurança não há Democracia.

Evandro Everson dos Santos é policial militar aposentado e economista


Compartilhe esta notícia!