Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Na 11ª atualização do Plano São Paulo feita nesta sexta-feira (21) pelo governo do estado, a região de Araçatuba permaneceu na fase 3 (amarela). As cidades do DRS 2 (Departamento Regional de Saúde), onde vivem quase 800 mil pessoas, vão para a terceira semana nesta fase da flexibilização, que permite abertura de atividades econômicas como comércio, serviços, shoppings, bares, restaurantes, salões de beleza e academias por até 8 horas diárias. Quase todos os índices da região de Araçatuba estão habilitados para a fase 4 (verde), com exceção do número de óbitos, que está em leve queda.

De acordo com os dados apresentados pela equipe do governo estadual nesta sexta-feira, a região de Araçatuba possui 47,1% de ocupação nos seus leitos de UTI para tratamento de pacientes com covid-19, índice que não é considerado preocupante pelo Centro de Contingência do Coronavírus. A região possui atualmente 17,2 leitos de UTI para cada 100 mil habitantes.

A semana teve uma diminuição de 23% (0,77) nos casos novos de covid-19 em relação à semana anterior, segundos os dados apresentados, o número de internações caiu 24% (0,76). Estes índices estariam habilitados para que Araçatuba entrasse na fase verde, onde não há restrições para horário de funcionamento do comércio e serviços e capacidade de atendimento de 60%.

O único índice que mantém Araçatuba na fase amarela é o número de óbitos. Houve diminuição de 4% (0,96) nos óbitos nesta semana em relação à última, sendo que teria de haver uma diminuição de pelo menos 20%.

Nenhuma região na fase vermelha

Pela primeira vez, o estado de São Paulo não tem nenhuma de suas regiões na fase 1 (vermelha), que restringe todas as atividades econômicas não essenciais. Houve cinco progressões para fases de menor restrição à atividade econômica e mobilidade social.

As áreas das DRSs de Franca e Registro, que estavam na etapa vermelha, avançaram para a fase laranja. Já as sub-regiões Norte e Oeste da Grande São Paulo e a região do Barretos passaram da etapa laranja para a amarela.

A reclassificação desta sexta deixa 88% dos 46 milhões de habitantes do estado na fase amarela, que é a terceira numa escala de cinco etapas de isolamento social e restrições de atividades para prevenção e combate ao coronavírus. As regiões na etapa intermediária são, além de Araçatuba, a Grande São Paulo (capital e todas as cinco sub-regiões), Araraquara, Baixada Santista, Barretos, Bauru, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Sorocaba e Taubaté.

“Naturalmente, há ainda restrições preventivas. Mas são bons sinais que indicam que a epidemia em São Paulo está em declínio e o estado começa a sair do platô. Esses bons sinais nos fortalecem no enfrentamento à pandemia, mas devem ser registrados com muita prudência, cautela e atenção”, declarou o Vice-Governador Rodrigo Garcia, durante entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira.

Regressão para fase 2

Com piora acima da média nas taxas de casos, internações e mortes de pacientes com coronavírus, as regiões de Marília e São João da Boa Vista regrediram da fase amarela para a laranja. Os municípios destas áreas terão que voltar a proibir o atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, academias e espaços culturais por ao menos duas semanas.

Na fase laranja, só podem reabrir, com restrições, comércios de rua, concessionárias, escritórios em geral e shoppings. São seis as regiões que estão nesta etapa de mobilidade social e retomada econômica: Franca, Marília, Presidente Prudente, Registro, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto.

O Governo do São Paulo prorrogou a quarentena em todo o estado até o dia 6 de setembro.


Compartilhe esta notícia!