Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

A fila pode até não estar extensa. Três, quatro ou cinco pessoas podem estar à espera. Mesmo assim, a dificuldade dos bancos para atender no prazo é a mesma. As agências bancárias de Araçatuba não estão conseguindo cumprir exigência legal de atendimento em 15 minutos a seus clientes durante a pandemia da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

O que é perceptível numa simples visita a qualquer repartição de instituição financeira localizada na cidade se confirma em números.

Somente em junho deste ano, foram 38 intimações emitidas pelo serviço de Fiscalização e Posturas da Prefeitura de Araçatuba a diferentes agências estabelecidas no município. A informação consta em documento encaminhado pelo Executivo à Câmara como resposta a requerimento de autoria do vereador Cido Saraiva (MDB) sobre o assunto.

O material traz cópia de todos os autos de fiscalização realizados no período. Com a autuação, as agências foram intimadas a regularizar o serviço.

O desrespeito à regra pode custar caro para as unidades bancárias. Em maio do ano passado, os vereadores de Araçatuba aprovaram projeto de lei que aumentou de R$ 4 mil para R$ 10 mil o valor da multa para agências bancárias que descumprirem a lei municipal 6.633/05, que prevê atendimento aos clientes no prazo de 15 minutos em dias normais e de 30 minutos em datas anteriores ou posteriores a feriados.

DIFICULDADE

Na resposta ao requerimento de Cido Saraiva, a administração municipal diz que, devido à redução do horário de funcionamento em decorrência da pandemia e ao pagamento do Auxílio Emergencial, “fica difícil os bancos cumprirem o atendimento em 15 minutos”. Em sua manifestação, a gestão do prefeito Dilador Borges (PSDB) faz ainda a seguinte ponderação: “Também temos ciência de que alguns profissionais estão sendo afastados por sintomas da doença, o que agrava ainda mais o atendimento”.

Problema como esse aconteceu justamente em junho. Reportagem de O LIBERAL REGIONAL publicada no dia 18 daquele mês mostrou que agências bancárias da região fecharam as portas após funcionários testarem positivo ou apresentarem sintomas para a covid-19.

Só em Araçatuba, no Itaú Unibanco, uma das instituições intimadas, as agências 8510 e 0144 ficarão fechadas temporariamente naquele mês. Por isso, todos os funcionários de ambas as unidades chegaram a ficar afastados do trabalho. “Quando isso acontece, fica acumulada a demanda quando o serviço é retomado”, disse uma funcionária que preferiu não se identificar.

Na ocasião, em comunicado oficial, o Itaú informou que as agências haviam sido fechadas para higienização, seguindo todos os protocolos de limpeza e uso de antissépticos adequados. Com isso, estavam sendo mantidos serviços essenciais, com orientação para que os clientes usassem os canais digitais ao realizar suas operações, como pagamento de títulos e boletos, contratação de crédito, solicitação de segunda via de cartão e outros serviços.

PREOCUPAÇÃO

Apesar da orientação dos bancos, em seu requerimento, Cido Saraiva diz que tem observado as agências bancárias de Araçatuba lotadas, com filas enormes. Ele diz ainda ter relatos de tempo de espera superior a duas horas, “expondo ainda mais as pessoas à contaminação, bem como à disseminação do vírus”. Completa o parlamentar: “A formação de longas filas nas agências bancárias, sobretudo do lado de fora, quando se tem pouco controle da distância entre as pessoas, traz grandes preocupações”.

 

————–

RETRANCA

Federação recomenda uso de canais digitais

 

A utilização das ferramentas digitais é uma das principais recomendações da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) para o período de resguardo.

Em comunicado oficial publicado em sua página na internet, em 16 de março, no começo da pandemia, a entidade que representa os bancos disse:

“A Febraban e seus bancos associados compartilham dos esforços no país para conter a disseminação do novo coronavírus e têm discutido com os sindicatos do setor quais as medidas mais apropriadas para amenizar os efeitos negativos da pandemia identificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Febraban recomenda ao público, sempre que possível, evitar o comparecimento nas agências e dar preferência aos canais eletrônicos.

Os bancos determinaram o reforço nas medidas de higienização pessoal e das instalações bancárias, inclusive agências e caixas eletrônicos.

Medidas para reduzir o trânsito e a concentração de pessoas nas agências também estão sendo tomadas, conforme as particularidades de cada banco, assim como o cancelamento de eventos públicos e internos, e a adoção de regras de afastamento para funcionários em situação de risco.

O setor entende que se trata de um choque profundo, mas de natureza transitória e que, com a colaboração de todos, o país será capaz de enfrentar esse problema e reduzir seus efeitos negativos sobre a população.

A Febraban lembra que o setor tem investido, anualmente, em torno de R$ 20 bilhões em tecnologia, atendendo à demanda crescente dos clientes por canais de atendimento eletrônico, que permitem aos usuários o acesso remoto aos serviços financeiros, com comodidade e segurança, de qualquer parte do país”.


Compartilhe esta notícia!