Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

O Vôlei Futuro (VF) contratou o ex-jogador Dentinho para ser o técnico do time que se prepara para disputar a Série C da Superliga (categoria masculino), prevista para começar em setembro ou outubro. As informações são de Luís Henrique Reis, presidente do Esporte Clube Futuro (ECF), mantenedor do time. Segundo ele, cinco jogadores já estão confirmados, dos quais quatro atuaram com Dentinho entre 2010 e 2013 no antigo VF. Luisinho, no entanto, não revelou o nome deles. O técnico deve chegar em Araçatuba no final deste mês.
Rafael Fantin, o Dentinho, foi ponteiro do VF e um dos líderes daquele time que chegou a ser campeão paulista e vice-campeão da Série A da Superliga masculina. Luisinho disse que Dentinho foi o escolhido para ser o técnico do novo VF porque tem identidade muito grande com a torcida e a cidade, tem experiência em gestão de projetos e como treinador é novo no mercado. O ex-ponteiro participou de um projeto na área esportiva na cidade em que mora, Bento Gonçalves (RS).
Nos próximos dias será formada uma comissão técnica para trabalhar com o técnico. Marcos Coraza, treinador da equipe infanto-juvenil e que atuou também nas categorias de base do antigo VF, será auxiliar técnico de Dentinho. Quanto aos jogadores, Luisinho acredita que não terá dificuldades para fechar as contratações, pois, segundo ele, tem muitos desempregados no mercado. Mesmo assim, precisará de agilidade para inscrever os atletas na Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), organizadora da Superliga, até o dia 14 deste mês, prazo estabelecido para as equipes que pretendem disputar a Série C.
Apesar do prazo curto, Luisinho acredita que será possível cumpri-lo. A dificuldade, no entanto, será em relação a patrocínios. Além da pandemia de covid-19, que praticamente fez a economia ficar estagnada, os jogos serão sem público, o que deixa os potenciais patrocinadores em dúvida. “Apesar de os jogos serem sem público, serão transmitidos pelo Youtube”, garantiu o dirigente. Ele estima que a despesa mensal de uma equipe de Série C da Superliga custe entre R$ 160 mil e R$ 190 mil.
Luis Henrique Reis trabalhou no antigo Vôlei Futuro como estatístico até a extinção do clube. No ano passado ele e outros apreciadores da modalidade fundaram o Esporte Clube Futuro para resgatar o VF. Reis é o presidente do ECF, que tem como diretores o médico Célio Mori, Rodrigo Detoni e Mário Zambom.

 


Compartilhe esta notícia!