Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Representantes comerciais de Araçatuba reivindicaram mudança no horário de funcionamento do comércio na cidade. Após ser publicado decreto pela prefeitura, nesta segunda-feira, oficializando o horário das 14h às 18h para a abertura das lojas de segunda à sexta-feira, os lojistas pediram a antecipação do horário para o período entre 12h e 16h. A novo horário foi definido em novo decreto.

O pedido foi feito em reunião com o prefeito Dilador Borges (PSDB), na manhã de ontem, no salão azul do Paço Municipal. Estiveram presentes além do prefeito, alguns secretários, cerca de 10 lojistas, representantes da Associação Comercial e Industrial e da Associação dos Lojistas do Calçadão.

A justificativa da proposta é a maior movimentação no Centro da cidade e nos principais corredores comerciais na chamada hora do almoço. Os lojistas alegam que, após fazer quase todas as atividades no centro, os consumidores vão às lojas apenas na primeira hora de abertura do comércio. Com o horário antecipado, haveria a possibilidade de o cliente fazer suas atividades de uma só vez em menos tempo.

De acordo com a prefeitura de Araçatuba, o pedido foi analisado pelo Comitê de Saúde do município, que aprovou a mudança.

Após a reunião, o comerciante Feiez Nasser, proprietário da Casa das Linhas, localizada no Calçadão, que foi um dos que reivindicou a mudança, afirmou à reportagem que a partir das Duas da tarde é o período em que há menor movimentação no local, o que prejudica as vendas. “Das duas em diante cai muito o movimento, então estamos tentando pleitear pelo menos umas duas horas antes, para começar meio-dia, pra que a gente consiga uma venda um pouco melhor, porque nós já estamos no último suspiro”, afirmou em entrevista por telefone.

Comércio injustiçado e tempo maior

No decorrer da reunião, o lojista fez um desabafo e afirmou que acha injusto alguns estabelecimentos poderem funcionar por mais tempo, enquanto o comércio ficou fechado por um período e agora está restrito a um atendimento mínimo de 4 horas. “Meu desabafo é que nós estamos no limite, não estamos aguentando, não é justo um supermercado abrir, sendo que lá tem umas 60 empresas lá dentro onde pode vender chinelo, bacia, panela, não é primeira necessidade só. Além de outras empresas que vende televisão, geladeira, isso não é primeira necessidade. Nós lá no calçadão estamos necessitados e tudo que acontece na cidade, toda a pandemia é culpa do calçadão”, disse.

Feiez Nasser reforçou a ideia de que o comércio de rua não é culpado pelo aumento de casos de covid-19 em Araçatuba, visto que as lojas ficaram quase um mês fechadas justamente no pico da doença. Para ele, parece que só “ricos” podem trabalhar. “Já mostrou que essa pandemia que aumentou na cidade não foi o calçadão, porque o calçadão ficou fechado e aumentou. Na minha cabeça só os ricos que estão podendo trabalhar, dono de supermercado, banco, a gente que é a bola mestra da cidade que é o comércio pequeno que necessita e precisa sobreviver está sendo sacrificado”, comentou.

Ele ainda afirmou que concorda que as lojas deveriam abrir por mais tempo para evitar aglomeração. “Acredito que sim, se você tem um ambiente que abre uma hora por dia, vai todo mundo só naquela hora. As pessoas têm mais tempo pra ir, um vai às Duas, outro às Três, outro às Nove, mas tem que seguir a lei”, opinou.

Terceiro horário diferente

A prefeitura de Araçatuba aprovou o terceiro horário diferente de funcionamento do comércio desde que Araçatuba foi classificada pela primeira vez na fase 2 (laranja) do Plano São Paulo.

Em 1º de junho, as lojas foram autorizadas a reabrir na cidade entre 10h e 14h e a volta às atividades registrou enorme movimentação, principalmente no calçadão, o que preocupou as autoridades de saúde municipais, que recomendaram a mudança para o período da tarde com a justificativa de separar o movimento das lojas e das agências bancárias, que funcionam no mesmo horário.

Com isso, no dia 15 de junho as lojas passaram a funcionar das 14h às 18h, horário que persistiu até o dia 26 de junho e que havia começado a vigorar nesta segunda-feira.

De 24 de março, data do início da quarentena em todo o estado, até o momento, o comércio de Araçatuba funcionou por pouco mais de 4 semanas, apenas.


Compartilhe esta notícia!