Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMMAS), com o objetivo de subsidiar e dar diretrizes para ações de adequações ambientais no município, iniciou um trabalho de levantamento da biodiversidade com foco na fauna silvestre em áreas urbanas da cidade. Este estudo é importante pois o conhecimento sobre a fauna silvestre é o ponto de partida para definir áreas prioritárias para a conservação, bem como para dar subsídio à tomada de decisões relativas ao manejo da fauna silvestre, às análises de estudos e relatórios de impacto ambiental, aos programas e ações de educação ambiental, entre outras políticas públicas que trazem melhorias para todos.

“O período é oportuno para a realização desse trabalho, tendo em vista que, com os parques fechados devido a pandemia, colaboradores e vigias da SMMAS já têm relatado o avistamento de animais silvestres que passaram a se aproximar de zonas ecologicamente ativas em áreas urbanas, como é o caso do Parque da Fazenda e do Parque Ecológico Baguaçu que tem seus ecossistemas conectados ao grande Corredor Ecológico das Áreas de Preservação Permanente do Ribeirão Baguaçu”, explica o secretário da SMMAS, Lucas Savério Proto.

O trabalho ocorrerá ao longo de doze meses e está sendo inicialmente realizado por biólogos da SMMAS que irão inventariar as espécies da avifauna e mastofauna, apenas por métodos não invasivos de observação e levantamento, visitando matas em áreas de preservação permanente na área rural e em 3 grandes áreas verdes na área urbana de Araçatuba, sendo: Parque Ecológico Baguaçu, Parque Municipal da Fazenda e fragmento de floresta no Zoológico Municipal Dr. Flávio Leite Ribeiro.

A ação em campo será complementar ao esforço em pesquisa bibliográfica, a fim de compilar artigos e inventários pré-existentes. Cidadãos, estudantes, professores, empresas ou demais instituições que possuírem informações relevantes relacionadas à fauna ou levantamentos sobre espécies locais, concluídos ou em desenvolvimento, poderão disponibilizar informações ou colaborar entrando em contato pelo email da SMMAS: smmas@aracatuba.sp.gov.br .

Colaboradores da SMMAS enviaram alguns registros já obtidos para que possamos divulgar. A proposta é que através das imagens e informações, habitantes locais passem a conhecer as características das espécies e importância de sua preservação, tendo em vista que conhecer é o primeiro passo para que todos possam conviver, respeitar e preservar os animais nativos da nossa cidade.

ANIMAIS

A4 - Garça - Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Ecológico Baguaçu 2 de julho

A garça-moura (Ardea cocoi) é uma ave presente em todo território brasileiro, considerada a maior das garças do Brasil, com uma envergadura de até 1,80m. Em Araçatuba, é avistada ocasionalmente no Parque Ecológico Baguaçu e na lagoa do Zoológico Municipal.

a4 - Pica-pau - Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda, 16-06

O pica-pau-de-testa-amarela (Melanerpes flavifrons), também conhecido como Benedito, é um pica-pau de tamanho médio, multicolorido, barulhento e que gosta de exibir suas belas cores vivas, as quais o caracteriza. Em Araçatuba, é encontrado na área do Parque Municipal da Fazenda e no bosque do Zoológico Municipal.

A4 Cutia - Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda 15 de junho

A cutia (Dasyprocta aguti) é um roedor de porte médio, de pelos grossos e não espinhosos que se eriçam em momentos de estresse.  Alimentam-se de frutos, folhas, sementes e raízes. Possuem um importante papel ecológico de dispersora de sementes, pois enterram frutos e sementes para os períodos de escassez e muitas vezes não voltam a buscar, além da maneira tradicional de dispersão das sementes através das fezes. Em Araçatuba, observamos facilmente as cutias perambulando pelo bosque do Zoológico Municipal e no Parque Municipal da Fazenda.

A4 Bugio-ruivo - Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda 03-07

O bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitans) são macacos cuja característica mais marcante é a forte vocalização, que pode ser ouvida em até cinco quilômetros de distância, dependendo do local, e durar vários minutos. Tal característica é possível em razão da presença do osso hioide, bastante volumoso neste gênero, que funciona como uma caixa de ressonância para o som. Em Araçatuba, os bugios-ruivos podem ser encontrados no Parque Municipal da Fazenda. Geralmente em grupos de aproximadamente 6 indivíduos, no alto das árvores.

A4 Cachorro do mato - Biólogo Marcelo R.F. de Oliveira, Parque Municipal da Fazenda15-06-2020]

O cachorro-do-mato (Cerdocyon thous) é o canídeo brasileiro mais conhecido. Possui uma dieta ampla, que varia de acordo com a disponibilidade de alimento no ambiente. Em Araçatuba, ele habita fragmentos de matas e áreas de proteção permanente do município, e por meio delas, tem acesso aos parques, onde é avistado ocasionalmente.

As fotos são do biólogo  Marcelo R.F. de Oliveira, foram tiradas em junho e e julho de 2020, no Parque da Fazenda e no Parque Baguaçu.


Compartilhe esta notícia!