Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

A agropecuária foi o único setor da economia, dentre as quatro maiores cidades da região, a fechar o mês de maio com mais contratações do que demissões. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia.

De acordo com o levantamento, no quinto mês deste ano, a atividade econômica no campo terminou com saldo de 88 vagas criadas.

Foi um cenário bem mais confortável do que o observado em outros segmentos. No mesmo período, nos municípios de Araçatuba, Birigui, Penápolis e Andradina, a indústria cortou 1.245 postos de trabalho com carteira assinada. Já os segmentos de comércio e serviços fecharam 234 e 235, respectivamente. A menor redução foi registrada na construção civil, que eliminou 42 vagas formais.

Com exceção de Birigui, a agropecuária fechou maio com saldo positivo em Araçatuba (quatro vagas), Andradina (15) e Penápolis (71). No Polo Calçadista Infantil, o saldo foi de menos duas vagas.

POR CIDADES

Em Araçatuba, o mercado de trabalho fechou 471 oportunidades formais. No total, foram cortadas 129 vagas no comércio, que permaneceu fechado naquele período em virtude das medidas de isolamento social contra a covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Na construção civil, o corte foi de 33; na indústria, cem; e em serviços, 213.

O maior impacto negativo dentre as quatro cidades foi observado em Birigui. Só na indústria, carro-chefe da economia local por causa das fábricas de calçados, 1.069 vagas de trabalho foram eliminadas, volume que muito contribuiu para a cidade ficar com o maior saldo negativo no período. No total, a cidade contabilizou saldo de -1.228 empregos formais.

Em Andradina, o saldo foi de -67 oportunidades de trabalho. Só o comércio que também estava fechado, foi responsável pelo corte de 32 vagas. Indústria e Serviços encerraram 23 e 25 vagas, respectivamente. Ao longo de 2019, Andradina manteve os melhores indicadores de geração de empregos em toda a região de Araçatuba.

 

Para economista, mês mostrou que a crise impactou na economia regional

 

Para o professor universitário e economista Marco Aurélio Barbosa, os dados apresentados mostram o quanto a crise econômica impactou a atividade produtiva nas maiores cidades da região.

Segundo ele, essa queda acompanha a dinâmica da economia brasileira, em que a queda do PIB (recessão) desencadeou um saldo negativo de -331.901 empregos em maio. Uma estatística que foi consequência de 703.921 contratações ante 1.035.822 demissões de trabalhadores.

“O desempenho do mercado de trabalho é, portanto, um termômetro importante para se medir o impacto local da crise. Das quatro cidades analisadas, apenas Penápolis apresentou saldo positivo de 98 empregos”, analisou Barbosa, que coordena o Observatório da Economia Regional na FAC-FEA (Faculdade da Fundação Educacional Araçatuba), que analisa, todos os meses, os dados do mercado de trabalho na região.

Na desagregação da base de dados, em que são analisados os principais setores da economia, nota-se que o setor mais impactado é o segmento industrial. “Entre os segmentos produtivos da economia o setor industrial é o mais atingido pela crise econômica”, conclui o pesquisador.

PERSPECTIVA

Analisando o cenário prospectivo, com a retomada gradual das atividades econômicas locais ocorrida a partir de 1º de junho, há uma expectativa de melhores indicadores no próximo levantamento. Porém, para os próximos meses, o cenário é de incertezas, especialmente após a determinação para fechamento de comércio e shoppings na região na semana passada.

 

 

Supermercado e indústria leiteira garantem resultado positivo em Penápolis

Em meio à crise provocada pela pandemia, a única cidade da região a registrar saldo positivo na geração de empregos em maio foi Penápolis.

No total, a cidade encerrou aquele mês com 98 oportunidades com trabalho criadas, a maior parte também no campo: 71. Ao contrário dos outros municípios, o comércio criou 50 vagas formais, enquanto o setor de serviços, 29. Na construção civil, houve ainda a abertura de uma vaga. O único resultado ruim para a cidade foi na indústria, com corte de 53 vagas.

Para o prefeito Célio e Oliveira (sem partido), o bom resultado pode ser consequência de dois fatores. O primeiro dele é atribuído às contratações do Amigão Supermercado, que vai começar a atender em julho. O segundo tem relação com as contratações na Bonolat, indústria leiteira que começou sua atividade industrial no primeiro semestre.

De qualquer forma, Célio não escondeu a surpresa com o resultado. “Não esperávamos um superávit dessa natureza, mas um resultado de equilíbrio. Afinal, tivemos demissões na indústria. Em tempo de pandemia, estamos sendo uma espécie de ilha na

 

NÚMEROS

Confira o saldo na geração de empregos na região por setores:

Setores Araçatuba Birigui Andradina Penápolis Total
Agropecuária 4 – 2 15 71 88
Comércio – 129 – 123 – 32 50 – 234
Construção – 33 -8 – 2 1 – 42
Indústria – 100 – 1069 – 23 – 53 -1.245
Serviços – 213 – 26 – 25 29 – 235
Total -471 -1.228 -67 98 -1.668

FONTE: Ministério da Economia


Compartilhe esta notícia!